A metodologia junto ao cliente com a consultoria digital - Syngenta Digital
A metodologia junto ao cliente com a consultoria digital - Syngenta Digital A metodologia junto ao cliente com a consultoria digital - Syngenta Digital A metodologia junto ao cliente com a consultoria digital - Syngenta Digital A metodologia junto ao cliente com a consultoria digital - Syngenta Digital

A metodologia junto ao cliente com a consultoria digital

4 min de leitura

Uma operação agrícola nunca é igual à outra. Cada região e cultura têm suas particularidades e, claro, cada produtor escolhe cuidar da sua lavoura de uma forma. A tecnologia também deve se adaptar. Versátil e customizável, o Cropwise Protector se encaixa à realidade da fazenda, processo que tem […]

por Syngenta Digital
A metodologia junto ao cliente com a consultoria digital - Syngenta Digital Voltar
A metodologia junto ao cliente com a consultoria digital - Syngenta Digital
consultoria digital

Uma operação agrícola nunca é igual à outra. Cada região e cultura têm suas particularidades e, claro, cada produtor escolhe cuidar da sua lavoura de uma forma. A tecnologia também deve se adaptar. Versátil e customizável, o Cropwise Protector se encaixa à realidade da fazenda, processo que tem início com a definição da metodologia junto ao cliente por meio da consultoria digital. 

O desenho da metodologia é criado entre o produtor e um Especialista em Transformação Digital (ETD), consultor da Syngenta Digital responsável por garantir o maior aproveitamento possível do sistema.  Segundo o Líder Técnico em Transformação Digital João Daniel Farias, o agricultor é protagonista nesta etapa: “O trabalho é feito a quatro mãos, mas o protagonista é o produtor, é ele quem mais conhece a realidade da sua lavoura”.  

Definir a metodologia vai além da determinação dos processos de monitoramento de pragas, daninhas e doenças. Segundo Farias, nessa etapa, é possível considerar outros processos da fazenda, como a avaliação da qualidade do plantio, a estimativa de produtividade e de perdas na colheita. 

Mas o Líder Técnico garante que definir não significa restringir.  “A metodologia vai ser adaptada a partir do contato entre ETD e cliente. Ela pode ganhar ajustes as principais pragas da região e os processos adotados por cada produtor “, explica.  

Agronomos fazendo uso da consultoria digital para fazenda

O papel do agente de transformação

Se as lavouras são diferentes, o processo de definição de metodologia também é. Aqui, cabe ao Especialista em Transformação Digital apreender as informações necessárias para configurar o sistema de acordo com a necessidade de cada produtor. 

Por isso, a definição da metodologia é um convite ao diálogo que parte da consultoria digital para entender a realidade do produtor.  É hora de perguntar, por exemplo: a avaliação será feita em um pano de batida ou por planta? Serão avaliadas armadilhas? 

O objetivo é reproduzir, no Cropwise Protector, os processos que já funcionam naquela operação. Por conhecer a ferramenta digital a fundo, o ETD contribui para otimizar o procedimento, identificando problemas e apresentando funcionalidades adequadas aos diferentes perfis de clientes.

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura

#WeConnectAg: estamos vivendo a quarta revolução agrícola?

“A vida dos agricultores será mais fácil”, crava Joshua Miller sobre o futuro do agricultura. O jovem norte-americano era estudante na Universidade Duke em 2014, quando fundou a FarmShots, uma das agtechs que deu origem à Syngenta Digital. A plataforma […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura

Qual a importância das estações climáticas nas fazendas?

Lidar com o clima é um dos grandes desafios de todo produtor rural. Saber os dias em que vai chover ou quando a estiagem virá é muito importante, mas não é tudo. Quando o assunto são as condições meteorológicas, diversos […]

Leia na íntegra
Especial Produzindo Mais Posts
4 min de leitura
Banner produzindo mais - Irrigação

Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil

A soja é originária da China e após diversos cruzamentos, conduzidos por cientistas chineses, surgiu uma linhagem mais adequada ao consumo humano. O grão chegou à Europa como planta ornamental e não se adaptou bem ao cultivo agrícola. Nos EUA […]

Leia na íntegra