Próximos 12 anos no agro: Tecnologia e Inovação! Strider
Próximos 12 anos no agro: Tecnologia e Inovação! Strider Próximos 12 anos no agro: Tecnologia e Inovação! Strider Próximos 12 anos no agro: Tecnologia e Inovação! Strider Próximos 12 anos no agro: Tecnologia e Inovação! Strider

Próximos 12 anos no agro: Tecnologia e Inovação!

4 min de leitura

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil concluiu um relatório que estima o futuro do agro para os próximos 12 anos. O relatório traz temas como: armazenagem, demandas globais, logística, indústria, segurança jurídica, entre outros. Todos os temas visam […]

por Syngenta Digital
Próximos 12 anos no agro: Tecnologia e Inovação! Strider Voltar
Próximos 12 anos no agro: Tecnologia e Inovação! Strider

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil concluiu um relatório que estima o futuro do agro para os próximos 12 anos. O relatório traz temas como: armazenagem, demandas globais, logística, indústria, segurança jurídica, entre outros. Todos os temas visam viabilizar o aumento de 30% na produção agrícola brasileira nas próximas décadas para atender a demanda global, o que já não é novidade para os que estão inseridos no setor.

Buscando soluções para os problemas que existem e propondo melhorias, o relatório é um caminho para transformar cada passo em oportunidades de crescimento para os produtores e, consequentemente, para o Brasil.

Preparamos uma série especial sobre o relatório, chamada O Futuro do Agro. Neste mês, destacamos a tecnologia e inovação – temas de grande interesse dos produtores!

O futuro

É um longo caminho até o Brasil ser reconhecido por suas tecnologias, assim como é reconhecido por sua importância no mercado global de produção agrícola. Por isso, buscar resultados reais é necessário. Separamos três pontos sobre tecnologia e inovação que o relatório aponta como primordiais para a evolução do agro brasileiro:

  1. Apoio governamental

O relatório apontou que priorizar as mudanças estruturais é o que precisa ser feito de mais urgente no atual cenário tecnológico do agro. Portanto, a perspectiva é que seja instituído um órgão responsável por construir e administrar uma política de inovação tecnológica para o Agro, visto que grande parte da execução da política depende de outros órgãos que não o Ministério da Agricultura. Os próximos anos serão essenciais para essa consolidação.

  1. Infraestrutura solidificada

A busca por uma infraestrutura espacial abrangente que permita a conectividade de alta qualidade também é uma perspectiva. Estima-se que essa demanda será atendida até a próxima década.

A melhoria no sinal da rede viabiliza o desenvolvimento científico e tecnológico, permitindo o acesso à educação a distância dos habitantes do meio rural, além de permitir mais interação entre os produtores e famílias. Tudo isso para que a tecnologia alcance os campos de forma efetiva e de qualidade.

  1. Investimento na área

A expectativa também é que maiores investimentos em tecnologias sejam feitos. O mercado exige e o Brasil, como maior país produtor, deve estar em constante pesquisa. Para isso, a expectativa é que sejam formulados e implementados programas destinados ao desenvolvimento de tecnologias para a agregação de valores ao setor agrícola. Internacionalizar as pesquisas e seus resultados também é um caminho esperado, considerando a atração de investimentos estrangeiros e o apoio de novas tecnologias.

Todos esforço só valerá a pena se resultados forem gerados, como o aumento da produtividade e a redução dos custos de produção. A tecnologia é parceira do produtor e grande aliada para prosperidade do agronegócio. É preciso estar sempre atento e observar os desdobramentos tecnológicos que surgirão na próxima década.

Leia mais notícias e novidades no Blog.

Leia mais da categoria:

Especial Produzindo Mais Posts
4 min de leitura
Banner produzindo mais - Irrigação

Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil

A soja é originária da China e após diversos cruzamentos, conduzidos por cientistas chineses, surgiu uma linhagem mais adequada ao consumo humano. O grão chegou à Europa como planta ornamental e não se adaptou bem ao cultivo agrícola. Nos EUA […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
Tomateiro

Uso de algas marinhas nas plantações de tomate aumenta a colheita e preserva os nutrientes

O proprietário de uma plantação de tomate no sudeste de Goiás decidiu fazer o teste: fertilizou uma área com o Algen Micron, desenvolvido com a alga marinha Lithothamnium, e nas áreas vizinhas usou adubos convencionais. O resultado contemplou as expectativas […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura

Utilização de agricultura de precisão no cultivo de vinhedos

Por Antonio Odair dos Santos; Antonio Carlos Loureiro Lino; Denival da Costa Silva; Mário Nakano Neto É bem reconhecido atualmente que há uma necessidade crescente na agricultura de se adotar gestão localizada, por causa de pressões econômicas e ambientais. No entanto, […]

Leia na íntegra