Qual a importância das estações climáticas nas fazendas? - Syngenta Digital
Qual a importância das estações climáticas nas fazendas? - Syngenta Digital Qual a importância das estações climáticas nas fazendas? - Syngenta Digital Qual a importância das estações climáticas nas fazendas? - Syngenta Digital Qual a importância das estações climáticas nas fazendas? - Syngenta Digital

Qual a importância das estações climáticas nas fazendas?

4 min de leitura

Lidar com o clima é um dos grandes desafios de todo produtor rural. Saber os dias em que vai chover ou quando a estiagem virá é muito importante, mas não é tudo. Quando o assunto são as condições meteorológicas, diversos […]

por Syngenta Digital
Qual a importância das estações climáticas nas fazendas? - Syngenta Digital Voltar
Qual a importância das estações climáticas nas fazendas? - Syngenta Digital

Lidar com o clima é um dos grandes desafios de todo produtor rural. Saber os dias em que vai chover ou quando a estiagem virá é muito importante, mas não é tudo. Quando o assunto são as condições meteorológicas, diversos fatores influenciam diretamente nos resultados de uma safra, como chuva, umidade do ar e temperatura. O sucesso da lavoura muitas vezes depende de dados meteorológicos precisos e em tempo real. Então, como obter estes dados?

Existe uma forma de tornar os eventos meteorológicos bem mais previsíveis e evitar surpresas desagradáveis como uma queda drástica de temperatura, por exemplo. É possível ter a previsão das alterações climáticas na palma da mão através do uso de estações climáticas nas propriedades rurais.

O que é uma estação climática?

Estações climáticas ou estações meteorológicas são soluções que permitem que o produtor faça o monitoramento climático da fazenda. Elas são constituídas por um conjunto de instrumentos que medem as variáveis atmosféricas. As estações possuem sensores capazes de gerar informações sobre chuva, umidade do ar, temperatura, radiação solar e pressão atmosférica.

Uma estação possui quatro sensores fundamentais para a geração de dados:

  • Sensor de temperatura e umidade: mede a temperatura e a umidade do ar
  • Anemômetro: mede a velocidade do vento
  • Pluviômetro: responsável por medir a chuva
  • Piranômetro: registra a radiação solar

Já as estações mais sofisticadas também podem medir índice de radiação ultravioleta (UV), molhamento foliar, umidade do solo, temperatura do solo, temperatura da água e entre outros dados. Dessa forma, o produtor pode ter acesso à previsão do tempo gerada especificamente para a propriedade em que a estação está instalada.

Como as estações funcionam?

As estações climáticas contam com uma base fixa instalada em uma área plana e livre da fazenda. Seus sensores coletam informações minuto a minuto e as transmitem a cada hora, via satélite ou telefonia celular, para um servidor web.

Existem dois tipos de estações meteorológicas, as convencionais e as automáticas.

As estações convencionais precisam da intervenção humana para a análise de dados, ou seja, todos os dias uma pessoa precisa ir até o local para fazer a leitura e tomar nota de todos os dados gerados. Já a estação automática, gera os dados de maneira informatizada, entregando a análise para quem a utiliza. Nas estações automáticas também é possível fazer o acompanhamento em tempo real dos dados via internet.

De norte a sul: estações climáticas no Brasil e nos EUA

No Brasil, existe um órgão do Ministério da Agricultura responsável por gerar informações meteorológicas à toda população, o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia). Hoje, esse órgão administra cerca de 400 estações climáticas que são responsáveis pela previsão do tempo que acessamos em sites e assistimos na televisão. Mas, ainda sim, existe uma necessidade por parte dos produtores de um dado mais próximo à realidade de cada fazenda.

Apesar de estar no mercado há cerca de três décadas, as estações climáticas ainda não são muito utilizadas nas fazendas brasileiras. A boa notícia é que elas têm despertado o interesse, principalmente dos sojicultores, e esta tecnologia está começando a se popularizar.

Nos EUA as opiniões são bem positivas. Os produtores demonstram-se felizes com os resultados das previsões que as estações geram, especialmente durante épocas de colheita e de plantio. Na costa americana por exemplo, a chuva é imprescindível para o cultivo de uva de vinho na Califórnia. Não dá para trabalhar sem saber quando vai chover.

Como as estações climáticas ajudam o produtor?

Com as estações meteorológicas, o produtor  pode prever as mudanças climáticas que estão para acontecer e planejar de maneira antecipada como irá lidar com elas. Isso reduz de maneira drástica os prejuízos da falta de previsibilidade. Ser surpreendido por uma geada, por exemplo, pode causar prejuízos irreversíveis que poderiam ser evitados simplesmente pelo fato de se estar esperando por eles.

Trabalhar com a previsão é sem dúvida a melhor forma de garantir o sucesso de uma safra, por isso, é sempre muito importante buscar soluções que irão ajudar manter tudo sob controle.

Gostou deste post? Acha que as estações climáticas podem te ajudar a melhorar seus resultados na fazenda? Conte para a gente como tem sido a sua experiência com alterações climáticas na lavoura.

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura

Fundecitrus reestima safra da laranja 2017/18 em 397,27 milhões de caixas

Fundecitrus – Fundo de Defesa da Citricultura divulgou a terceira reestimativa da safra de laranja 2017/18. O relatório aponta uma produção de 397,27 milhões de caixas, de 40,8 kg cada. Esse valor corresponde a um aumento de 3,13% em relação […]

Leia na íntegra
Especial Produzindo Mais Posts
4 min de leitura
Banner produzindo mais - Irrigação

Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil

A soja é originária da China e após diversos cruzamentos, conduzidos por cientistas chineses, surgiu uma linhagem mais adequada ao consumo humano. O grão chegou à Europa como planta ornamental e não se adaptou bem ao cultivo agrícola. Nos EUA […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
planta daninha mao retirando

Plantas Daninhas: o que são e como controlar?

As plantas daninhas são motivo de dor de cabeça pra qualquer produtor. Fáceis de germinar, se dispersam pelo vento e se adaptam em qualquer cultura, competindo por água, luz, nutrientes e espaço no cultivo. Também reduzem a qualidade dos grãos, […]

Leia na íntegra