Atraso nas chuvas? Descubra como realizar o manejo adequado da soja
Atraso nas chuvas? Descubra como realizar o manejo adequado da soja Atraso nas chuvas? Descubra como realizar o manejo adequado da soja Atraso nas chuvas? Descubra como realizar o manejo adequado da soja Atraso nas chuvas? Descubra como realizar o manejo adequado da soja

Atraso nas chuvas? Descubra como realizar o manejo adequado da soja

4 min de leitura

O plantio de soja na temporada 2017/2018 preocupou os produtores do país nos últimos dois meses. As chuvas, que marcam o início da semeadura da oleaginosa, entre setembro e outubro, demoraram a chegar ocasionando um estresse hídrico de grande impacto, […]

por Syngenta Digital
Atraso nas chuvas? Descubra como realizar o manejo adequado da soja Voltar
Atraso nas chuvas? Descubra como realizar o manejo adequado da soja

O plantio de soja na temporada 2017/2018 preocupou os produtores do país nos últimos dois meses. As chuvas, que marcam o início da semeadura da oleaginosa, entre setembro e outubro, demoraram a chegar ocasionando um estresse hídrico de grande impacto, que comprometeu o desenvolvimento das lavouras brasileiras das regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Este cenário exige cuidado redobrado no manejo, segundo o engenheiro agrônomo Fransérgio Batista, gerente técnico especializado em grãos da Alltech Crop Science. Com o recente retorno das chuvas, a dica é utilizar de imediato de ferramentas que auxiliem a planta a enraizar e desenvolver a parte aérea. Dessa forma é possível reativar o metabolismo da planta.

“Esse ano houve três situações conjuntas: pouca chuva na fase inicial, baixa umidade e as altas temperaturas. Essa combinação de fatores faz com que a planta diminua seu crescimento. Então, quando o vegetal está sob estresse hídrico, ele utiliza toda a sua energia para se manter vivo, ao invés de direcioná-la para o seu desenvolvimento. Isso interrompe a expansão da raiz e da parte área”, afirma Batista.

O uso de aminoácidos e precursores hormonais é extremamente importante nessas situações, destaca o engenheiro agrônomo. “Estes compostos dão energia para que a planta reative seu metabolismo. Sem dúvidas, se o produtor realmente utilizar essas ferramentas, ele tem possibilidade de minimizar as perdas que o estresse hídrico já causou na lavoura”, conta.

Batista ainda explica que o retorno das chuvas e a aplicação destas soluções naturais não significam que a propriedade vai produzir normalmente. “Esse trabalho é para minimizar problemas que já foram causados. Por isso, quanto antes ele começar esse manejo, maior são as chances de recuperar a planta e ter menos perda de produtividade”, finaliza.

Fonte: Grupo Cultivar

Leia também: Você Sabe Realizar O Manejo Adequado Da Irrigação? Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn e Youtube.

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura
percevejo verde na rocha

O guia dos percevejos: tudo sobre o principal inimigo da lavoura

O agronegócio no Brasil é marcado pela agricultura intensiva, as monoculturas, e as plantações em áreas extensas. Nesse cenário, os produtores lidam com problemas agrícolas relacionados ao controle de pragas todos os dias. Na soja, os percevejos assumem o papel principal.   Considerados como alguns dos principais agressores da cultura, os percevejos se […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura

Campo conectado

Cerca de 15 mil produtores em busca de novas tecnologias para o agronegócio devem se reunir no Dia de Campo de Verão da C.Vale, no Paraná, entre 7 e 9 de janeiro. O intuito é encontrar mecanismos para o agricultor […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
Vale a pena premiar o seu gerente com base no lucro da safra?

Vale à pena premiar o seu gerente com base no lucro da safra?

Por Luiz Tângari – CEO Strider Com mais de mil fazendas monitoradas no Brasil, e mundo afora, acabamos tendo contato com uma variedade de estilos de gestão nas fazendas, o que nos permitiu desenvolver uma visão bastante abrangente. Uma das […]

Leia na íntegra