Como a tecnologia aumenta o TCH da cana-de-açúcar
Como a tecnologia aumenta o TCH da cana-de-açúcar Como a tecnologia aumenta o TCH da cana-de-açúcar Como a tecnologia aumenta o TCH da cana-de-açúcar Como a tecnologia aumenta o TCH da cana-de-açúcar

Como a tecnologia pode aumentar o TCH da cana-de-açúcar?

4 min de leitura

No setor sucroenergético, comumente é usada a sigla TCH –  Toneladas de Colmos por Hectare ou, simplesmente, Toneladas de Cana por Hectare. O termo se refere a produtividade do canavial, e seu cálculo é feito dividindo as toneladas de cana […]

por Syngenta Digital
Como a tecnologia aumenta o TCH da cana-de-açúcar Voltar
Como a tecnologia aumenta o TCH da cana-de-açúcar
cana de acucar cortada em cima da mesa

No setor sucroenergético, comumente é usada a sigla TCH –  Toneladas de Colmos por Hectare ou, simplesmente, Toneladas de Cana por Hectare. O termo se refere a produtividade do canavial, e seu cálculo é feito dividindo as toneladas de cana plantada pela área.

A conta é fácil: quem aumenta o TCH, aumenta a receita. Mas alguns fatores prejudicam o plantio da cana, diminuindo o TCH. São eles: clima, ambiente de produção e complementação nutricional. Estes fatores sofrem forte influência de pragas, plantas daninhas e manejo adequado do solo e de fertilizantes.

Além do controle do dia a dia,  a adoção de  tecnologias tem sido a solução encontrada por grupos e produtores para aumentar o TCH e garantir a qualidade no plantio. Confira, a seguir, 6 aspectos em que a tecnologia surge como aliada para o aumento do TCH nos canaviais:

1- Monitoramento de pragas

As pragas geram grandes prejuízos nos canaviais, e identificar pragas na cana-de-açúcar no momento correto de combate é uma tarefa difícil. A falta de controle diminui o TCH e causa gastos extras para o produtor.

Mas os softwares de monitoramento de pragas já são realidade, permitindo que o agricultor conheça a ameaça que está enfrentando para estudar a melhor estratégia de ação. Com eles, as pragas são controladas antes de afetar a cana.

2- Aplicação de defensivos

Hoje, com uso de softwares de monitoramento de pragas já é possível gerar mapas de calor e visualizar o local em que a pressão de pragas ultrapassou o nível de controle. Com auxílio da ferramenta, o responsável pode fazer aplicações precisas e localizadas.

3- Tomada de decisão

Quando o assunto são pragas ou infestação de plantas daninhas, o tempo entre a coleta de informações e a ação fazem total diferença para aumento do TCH. Investir em sistemas que gerem relatórios de monitoramento de pragas ajuda na tomada de decisão de forma rápida e assertiva. É o fim das planilhas!  

Alguns sistemas possuem ainda a geração de um relatório offline (que não depende de sinal de internet).

4- Problemas no canavial

Por meio de tecnologias de análise de sensoriamento remoto, é possível perceber problemas que não são visíveis a olho nú. Os softwares geram imagens que refletem a condição real da lavoura e fazem alertas, antecipando a decisão do produtor.

Algumas empresas oferecem uma grande variedade de análises, como no caso da Strider. O Strider SPACE realiza o sensoriamento remoto através de NDVI, NDMI, SAVI, EVI e perda de biomassa.

5- Equipe e ordem de serviço

A atividade sucroenergética exige procedimentos e processos como qualquer outra do agronegócio. Assim, possui  muitos colaboradores e processos envolvidos.

Formalizar e acompanhar o trabalho prestado é fundamental para que o gestor possa garantir a execução das atividades da maneira com que foram programadas.

O produtor que deseja aumentar sua eficiência e produtividade já pode adquirir softwares de gestão de operações. O sistema vai acompanhar as atividades da equipe de campo e prever o que precisa ser comprado ou previsto com base no que foi utilizado nas atividades já executadas.

6- Controle de perdas na colheita

A colheita da cana-de-açúcar pode gerar perda e desgaste da matéria-prima se não for bem controlada, afetando a produtividade. As colhedoras podem gerar cortes em posições altas ou baixas demais no colmo, o que exige ajuste do maquinário.

Para que o problema seja percebido é necessário que o técnico agrícola ou equipe de qualidade perceba o erro e o reporte. Na maioria das vezes, o processo é lento e acontece por meio da geração de planilhas.

Mas com uso da tecnologia é possível relatar os problemas da equipe de campo para central em tempo real, diminuindo o espaço e a espera pelos melhores resultados.

Viu só como a tecnologia pode ser grande aliada para aumento da produtividade? A evolução dos equipamentos e processos é a chave para o futuro. Precisamos produzir mais, mas o aumento de produção tem de vir do ganho em produtividade!

Leia também: 5 Motivos Para Investir Em Um Software Para Monitoramento De Pragas. Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn e Youtube.

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura

5 vezes em que o Cropwise Imagery foi muito mais do que apenas imagens de satélite

Ninguém tem dúvidas de que o produtor precisa ter olhos na lavoura para fazer boas escolhas. Com os avanços trazidos pela agricultura digital, no entanto, essas decisões podem ser tomadas de qualquer lugar, a qualquer hora. As imagens de satélite oferecem ao agricultor uma visão da sua […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura

Soja BT: tecnologia pode estar com os dias contados

A Soja BT é uma excelente ferramenta de controle de pragas. Geneticamente modificado, o grão BT possui o gene da bactéria Bacillus Thuringiensis, que age como inseticida natural contra as principais pestes que atacam as lavouras, tornando-se um grande aliado […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
Espectro Eletromagnético plantacao

Espectro Eletromagnético, luz visível e infravermelho: o que isso tem a ver com NDVI?

O Normalized Difference Vegetation Index (NDVI), que em português significa Índice de Vegetação de Diferença Normalizada, é muito utilizado na agricultura para analisar as condições das lavouras. Ele é gerado por meio de imagens obtidas por sensores remotos (como satélites e […]

Leia na íntegra