5 dicas para gestão de pessoas no agronegócio - Syngenta Digital
5 dicas para gestão de pessoas no agronegócio - Syngenta Digital 5 dicas para gestão de pessoas no agronegócio - Syngenta Digital 5 dicas para gestão de pessoas no agronegócio - Syngenta Digital 5 dicas para gestão de pessoas no agronegócio - Syngenta Digital

5 dicas para gestão de pessoas no agronegócio

4 min de leitura

Tão importante quanto falar de política, mercado ou tecnologias na agricultura, é discutir a gestão de pessoas no agronegócio. A gestão de pessoas é essencial para que a empresa alcance seus objetivos globais e específicos. E, no agro, não é […]

por Syngenta Digital
5 dicas para gestão de pessoas no agronegócio - Syngenta Digital Voltar
5 dicas para gestão de pessoas no agronegócio - Syngenta Digital

Tão importante quanto falar de política, mercado ou tecnologias na agricultura, é discutir a gestão de pessoas no agronegócio. A gestão de pessoas é essencial para que a empresa alcance seus objetivos globais e específicos. E, no agro, não é diferente: todas as áreas de atuação e estruturas organizacionais precisam ser suportadas por uma boa estratégia de gestão de pessoas! 

De acordo com Marcelo Prado, fundador da MPrado Consultoria Empresarial, engenheiro agrônomo com mestrado em Gestão Empresarial e especializações em Harvard e Central da Flórida, a tecnologia tem um papel fundamental na gestão de pessoas no agronegócio.

Quer saber mais sobre isso? Veja as suas dicas:

Escolha  líderes com visão de ponta a ponta

Para uma boa gestão de pessoas, a liderança é um dos pontos mais importantes. É essencial que o líder seja reconhecido como exemplo e, para isso, ele deve ter uma boa trajetória na empresa.

Além disso, na hora de definir quem assumirá esse papel, volte sua atenção para as habilidades de comunicação com os membros do time. No agro, e em qualquer outro setor, o líder é responsável por motivar a equipe, resolver problemas, além de criar pontes entre a sua área e outros departamentos.

Estar alinhado ao plano estratégico da empresa é fundamental. Uma equipe que tem os objetivos claros consegue alcançá-los com mais facilidade.

Quando o assunto é a agricultura digital, é importante que o líder seja curioso e aberto à inovação. Afinal, na gestão de pessoas no agronegócio, é indispensável contar com sistemas que registrem as informações ao longo da safra e avaliem o desempenho do colaboradores.

Segundo Prado, “a tecnologia é grande aliada em todas essas etapas”.

Invista no seus funcionários

Muitos agricultores fazem grandes investimentos em tecnologias de suporte ao campo, mas esquecem que é necessário investir também nas pessoas que viabilizam as operações. O especialista alerta para os perigos desse desequilíbrio.

Quando falamos em investimento em pessoas estamos falando em capacitações, treinamentos e valorização do colaborador. 

Quando não há equilíbrio, você corre o risco de ter uma equipe altamente engajada e eficiente, mas que não possui auxílio tecnológico para continuar evoluindo. Ou então ter tecnologias de última geração sem pessoas capacitadas para operá-las.

Para ele, é imprescindível que exista um equilíbrio de investimento entre todas as áreas, tanto temporal – que é o tempo que leva para engajar o funcionário com a empresa e sua causa,  quanto financeiro.

Incentive um comportamento vencedor

Um comportamento vencedor tem grande influência em uma empresa. Ele não deve partir apenas do líder, mas de todos da equipe. Agir de forma positiva é contagiante e gera um ambiente de trabalho mais produtivo e saudável.  “Vestir a camisa” da empresa é parte deste comportamento. Confiar na instituição que você trabalha e na missão que ela tem.

É importante ressaltar os pontos positivos de seu trabalho e não considerar pontos negativos como permanentes, apenas como pontos que ainda serão melhorados.

Avalie resultados e aprenda com eles 

Uma dica de técnica a ser usada na mensuração é o PLOCA (Planejar, Liderar, Organizar, Controlar e Ativar). Essas são as 5 funções administrativas, definidas em uma ordem específica para que acompanhar cada uma das etapas e identificar em qual momento existem correções a serem feitas.

Não se pode esquecer do feedback, isso é parte da boa gestão. Ele é fundamental para conseguir realizar correções nos processos.

E aí, como está a produtividade da sua equipe?

LEIA TAMBÉM: A GESTÃO DE PESSOAS É O QUE FALTAVA PARA A SUA EMPRESA CRESCER

Próximos desafios do agro

A busca constante por atualizações tecnológicas vai ajudar no principal desafio para os próximos anos: uma cultura organizacional que se preocupe igualitariamente com a inovação tecnológica, a agricultura digital e com a gestão de pessoas no agronegócio. Com essa cultura enraizada na empresa, será possível criar estratégias efetivas que contemplem a tecnologia disponível e uma equipe capacitada e bem gerida.

Desta forma, até 2023, Marcelo Prado estima que será possível alcançar a alta eficiência, aumentar a produtividade e a rentabilidade, tornando a gestão agrícola cada vez mais tecnológica e eficiente.

Leia mais da categoria:

7ª Edição
4 min de leitura

Gestão de performance: como dados obtidos por softwares podem gerar valor?

Devido à grande competitividade das agroindústrias e à incessante busca por maximização da produtividade e redução de custos, ou seja, gestão de performance. É de grande interesse a antecipação de eventos, paradas, quebras e, inclusive, da produtividade de determinadas culturas. […]

Leia na íntegra
7ª Edição 7ª Edição
4 min de leitura

Entrevista com: IBM – Ferramentas para a Agricultura do Futuro

Não tem jeito: a tecnologia chegou ao campo para ficar. Trata-se de um primeiro passo para a chamada agricultura do futuro. O diretor do Laboratório de Pesquisas da IBM, Ulisses Mello, falou sobre esse futuro promissor para o agro brasileiro, […]

Leia na íntegra
7ª Edição
4 min de leitura

Madero: famosa rede de hambúrgueres tem produção orgânica própria

A produção de orgânicos já é uma realidade para pequenos e médios produtores. Mas se engana quem pensa que essa modalidade parou na agricultura familiar. Com a forte demanda por produtos mais frescos e sem intervenção de defensivos, empresas já […]

Leia na íntegra