Nova levedura pode elevar produção de açúcar
Nova levedura pode elevar produção de açúcar Nova levedura pode elevar produção de açúcar Nova levedura pode elevar produção de açúcar Nova levedura pode elevar produção de açúcar

Nova levedura pode elevar produção de açúcar

4 min de leitura

Desenvolvida para ser a principal matéria-prima para a produção de etanol celulósico e energia elétrica a partir de biomassa, a “cana energia”, rica em fibras, poderá se tornar uma fonte tão ou mais rentável que a comum também para a […]

por Syngenta Digital
Nova levedura pode elevar produção de açúcar Voltar
Nova levedura pode elevar produção de açúcar
Canavial

Desenvolvida para ser a principal matéria-prima para a produção de etanol celulósico e energia elétrica a partir de biomassa, a “cana energia”, rica em fibras, poderá se tornar uma fonte tão ou mais rentável que a comum também para a fabricação de açúcar. E isso graças a uma levedura cujo pedido de patente foi apresentado pelo Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CTBE/CNPEM).

Desde que foi desenvolvida, na década passada, a cana energia tem apresentado rendimentos muito superiores ao da cana convencional na produção de etanol e da biomassa utilizada para a cogeração de energia. Mas, no caso do açúcar, o rendimento ficava para trás. O problema é que, enquanto na cana comum as moléculas de glicose e frutose estão unidas, formando as moléculas de sacarose, na cana energia há “sobra” de moléculas separadas de glicose e frutose no caldo da planta, e isso impede a cristalização da sacarose para a fabricação do açúcar.

Gonçalo Pereira, diretor do laboratório do CTBE, explica que a levedura desenvolvida pelo laboratório consome apenas a glicose e a frutose que estão “soltas” no caldo da cana energia, transformando-as em etanol, e não quebra a molécula de sacarose. Dessa forma, ela retira a glicose e a frutose do caldo e permite que a sacarose seja cristalizada, formando o açúcar. Nos cálculos do CTBE, podem ser produzidos 35 quilos de açúcar por tonelada de cana energia.

Esse rendimento é inferior ao da cana convencional (71 quilos de açúcar por tonelada processada, em média), mas como a produtividade da “supercana” nas lavouras pode ser três vezes maior que a da planta convencional, a quantidade de açúcar produzido por hectare acaba sendo maior. Segundo o CTBE, com o uso da levedura é possível extrair 6,3 toneladas de açúcar por hectare da cana energia, enquanto a cana comum produz pouco mais de 6 toneladas de açúcar na mesma área.

Em seus testes, o CTBE fez modificações genéticas para chegar à levedura que garante a cristalização da sacarose. O processo teve a patente depositada no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) em junho. Pereira afirma que o trabalho agora é identificar leveduras que já existem e naturalmente e realizam esse trabalho.

Não é a única pesquisa do CTBE com cana energia. Ex-sócio da GranBio (companhia que tem registradas duas variedades da planta) e à frente do laboratório desde novembro, Pereira diz que o CTBE também está desenvolvendo uma levedura para permitir a produção de etanol a partir da palha da cana energia, a exemplo de leveduras desenvolvidas por Novozymes e DSM, por exemplo – empresas de biotecnologia focadas no desenvolvimento de leveduras e enzimas para, a partir da planta, fabricar etanol.

A DSM, por sua vez, foi a primeira a introduzir no Brasil uma levedura transgênica, registrada em 2014, que transforma açúcares de qualquer tipo de biomassa em etanol e é usada pela GranBio. A empresa tem agora se voltado para usinas de etanol feito a partir do milho. Nos EUA, a DSM está criando uma levedura que transforma a fibra do grão em etanol. Segundo Diego Cardoso, gerente de desenvolvimento de negócios da DSM, a tecnologia foi batizada de “1.5”, já que não é nem apenas de primeira geração (produção do etanol a partir da sacarose), nem de segunda geração (produção a partir de biomassa).

A americana Lallemand também desenvolve leveduras para a produção de etanol a partir de milho nos EUA. No Brasil, comercializa uma levedura transgênica que eleva a capacidade de produção de etanol a partir de biomassa, segundo o vice-presidente de desenvolvimento de negócios Justin van Rooyen. A companhia não tem o mercado de açúcar no horizonte.

Fonte: IDEA 

Leia também: Adoção De Braquiária No Sistema Plantio Direto Avança No País.  Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn e Youtube.

ideaonline.com.br/…/nova-levedura-pode-elevar-producao-de-acucar

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura

NDVI na prática: identificando problemas na lavoura com imagens de satélite

Não tem jeito: os imprevistos fazem parte do dia a dia do produtor rural. Ao longo de todos os meses da safra, o agricultor terá que lidar com inúmeros obstáculos no caminho da produtividade e, é claro, superá-los. Se não é possível impedir os riscos, […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
Foto: Castor Becker Júnior/Sindag

Sindag avalia problemas na proibição da pulverização aérea

Nos últimos meses, a pulverização aérea de defensivos agrícolas se tornou tema de reuniões, fóruns e audiências públicas. As discussões foram impulsionadas por dois projetos de lei (PLs) propostos pelo Deputado Estadual Padre Afonso Lobato (PV). O primeiro (405/2016) prevê a proibição […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
Mulheres do agro

Mulheres do agro ganham até 99% da remuneração dos homens

Por: kellen_severo para Canal Rural  Em 2017, as mulheres brasileiras ganharam, em média, 76,2% da remuneração paga aos homens segundo dados do IBGE na Pesquisa Nacional por Amostra de domicílio (Pnad). Os indicadores que comprovam a diferença salarial já são […]

Leia na íntegra