Vazio sanitário de soja entra em vigor nas regiões produtoras do país
Vazio sanitário de soja entra em vigor nas regiões produtoras do país Vazio sanitário de soja entra em vigor nas regiões produtoras do país Vazio sanitário de soja entra em vigor nas regiões produtoras do país Vazio sanitário de soja entra em vigor nas regiões produtoras do país

Vazio sanitário de soja entra em vigor nas regiões produtoras do país

4 min de leitura

O vazio sanitário de soja já começou em alguns lugares do Brasil, mas grande parte dos estados produtores iniciam o período de ausência de plantas vivas da oleaginosa a partir de 15 de junho. A estratégia, instituída por lei, estabelece […]

por Syngenta Digital
Vazio sanitário de soja entra em vigor nas regiões produtoras do país Voltar
Vazio sanitário de soja entra em vigor nas regiões produtoras do país
vazio-sanitario-soja-strider

O vazio sanitário de soja já começou em alguns lugares do Brasil, mas grande parte dos estados produtores iniciam o período de ausência de plantas vivas da oleaginosa a partir de 15 de junho. A estratégia, instituída por lei, estabelece um calendário de semeadura de soja, com um período de pelo menos 60 dias sem a presença de plantas cultivadas ou voluntárias nos campos.

De acordo com Evaldo Kazushi Takizawa, engenheiro agrônomo e sócio proprietário da CERES Consultoria Agronômica, antes de adotar o vazio sanitário vegetal o agricultor deve saber claramente qual seu objetivo. No momento, há o vazio sanitário ligado ao problema da Ferrugem Asiática na soja, ao problema do bicudo do algodoeiro e algumas pragas no feijão”, esclarece Evaldo.

O vazio de soja foi instituído para combater a Ferrugem Asiática, uma perigosa doença que acomete a cultura. Ela é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi e ameaça todas as regiões produtoras do país. A ferrugem é responsável pela desfolha precoce da planta e prejudica a formação e enchimento dos grãos, causando prejuízos à lavoura.

Nem sempre é possível conseguir vários objetivos ao mesmo tempo. O Engenheiro explica que o simples fato de evitar o cultivo de culturas sensíveis a doenças e pragas pode evitar a ocorrência prejudicial destas pestes e viabilizar níveis de produtividade capazes de remunerar o agricultor, ao contrário isso não é possível.

“Dentro do manejo integrado de pragas e doenças essa é uma forma não química de combate destas pestes. É uma forma racional de erradicação ou redução do potencial de inóculo e cria uma entressafra de fato. Além de ser uma medida de precaução e higiene e reduzir o risco da cultura”, completa Takizawa.

Penalidades e sanções

Os produtores e estados que descumprirem as diretrizes da legislação estão sujeitos a penalidades e sanções. No entanto, conforme ressalta o Agrônomo, o agricultor que está condicionado ao vazio sanitário vegetal – conforme calendário e exigências legislativas – deve encarar a situação como uma boa prática agronômica e que sustentará sua atividade, muito mais do que ter temor da punição.

Evaldo esclarece que para cada praga ou doença o intervalo de vazio pode mudar. No caso da batata pode chegar a três anos. “O valor estipulado por lei é o mínimo, e a presença e severidade destas pestes podem responder se o período é adequado. Aliás, as intervenções químicas estão aumentando. Os resultados positivos do vazio sanitário vegetal obtém-se apenas com medidas coletivas e coordenadas”, ressalta.

Ao todo, 11 estados mais o Distrito Federal adotam o período do vazio sanitário: Tocantins, Maranhão, Pará, Bahia, Rondônia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Produtores e estados que descumprirem as diretrizes estão sujeitos a penalidades e sanções.

Confira o calendário de vazio sanitário da soja em cada estado

15 de maio a 15 de setembro

Paraná – plantio permitido de 16 de setembro até 31 de dezembro e colheita até 15 de maio
Mato Grosso – plantio permitido de 16 de setembro até 31 de dezembro e colheita até 15 de maio

15 de junho a 15 de setembro

Mato Grosso do Sul
São Paulo
Rondônia

1º de julho a 30 de setembro  

Goiás – plantio permitido de 1º de outubro até 31 de dezembro
Minas Gerais
Distrito Federal
Tocantins

15 de agosto a 15 de outubro

Bahia

No Pará, foram estabelecidos dois períodos de vazio sanitário devido às diferenças climáticas. Entre 15 de julho e 15 de setembro, produtores das microrregiões de Conceição do Araguaia, Redenção, Itaituba (com exceção dos municípios de Rurópolis e Trairão), Marabá e Altamira (distrito de Castelo dos Sonhos) devem cumprir as diretrizes da legislação.

Já entre 1º de outubro e 30 de novembro, as microrregiões de Santarém, Paragominas, Bragantina, Guamá, Altamira (com exceção Distrito Castelo dos Sonhos) ficam proibidas de manter plantas vivas da oleaginosa nos campos. 

No Maranhão, o período também foi dividido em duas etapas: entre 15 de agosto e 15 de outubro nas microrregiões do Alto Mearim, Grajaú, Balsas, Imperatriz e Porto Franco e de 15 de setembro a 15 de novembro na Baixada Maranhense, Caxias, Chapadinha, Codó, Coelho Neto, Gurupi, Itapecuru Mirim, Pindaré, Presidente Dutra e Rosário, além de Paço do Lumiar, Raposa, São José de Ribamar e São Luís.

No Paraguai o período foi determinado pelo Servicio Nacional de Calidad Y Sanidad Vegetal Y de Semillas (SENAVE) e vigora entre os dias 1º de junho e 30 de agosto. O país faz fronteira com o Brasil em Mato Grosso do Sul e Paraná.

Leia também: SAFRA RECORDE, Rentabilidade Nem Tanto. Acompanhe nossas redes sociais em Facebook, Instagram, LinkedIn e Youtube.

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura
imagens NDVI

O poder das imagens NDVI no Cropwise Protector

Os usuários do Cropwise Protector contam com suporte em monitoramentos ao longo de toda a safra. A ferramenta de agricultura digital fornece imagens NDVI (Índice de Diferença de Vegetação Normalizada) para o acompanhamento da saúde da lavoura. O acesso à visão aérea é possível graças à integração […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
Soluções digitais são usadas nas lavouras

O passo a passo da adesão a soluções digitais no agro

Adentrar no mundo da agricultura digital não tem mistérios. Mas é preciso saber qual o objetivo do produtor com ela. Por isso, o primeiro passo é escolher as soluções digitais do agro que vão atender às suas demandas do dia […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura

O que fazer para melhorar a logística no agronegócio?

Quando se fala em logística na agricultura, é comum pensarmos apenas no papel do transporte de cargas, como de produtos ou insumos. No entanto, para a gestão agrícola, a logística é uma peça importante para gerenciar custos e executar os […]

Leia na íntegra