Ferrugem asiática é identificada no MA e BA com Controle Certo
Ferrugem asiática é identificada no MA e BA com Controle Certo Ferrugem asiática é identificada no MA e BA com Controle Certo Ferrugem asiática é identificada no MA e BA com Controle Certo Ferrugem asiática é identificada no MA e BA com Controle Certo

Ferrugem asiática é identificada no Maranhão e na Bahia com Controle Certo

4 min de leitura

A safra 20/21 ainda não terminou para alguns estados da região conhecida pelo acrônimo MATOPIBA, onde foram localizados focos de disseminação da ferrugem asiática no fim de março. A identificação da doença, que é a principal da soja, aconteceu por meio do monitoramento de […]

por Syngenta Digital
Ferrugem asiática é identificada no MA e BA com Controle Certo Voltar
Ferrugem asiática é identificada no MA e BA com Controle Certo

A safra 20/21 ainda não terminou para alguns estados da região conhecida pelo acrônimo MATOPIBA, onde foram localizados focos de disseminação da ferrugem asiática no fim de março. A identificação da doença, que é a principal da soja, aconteceu por meio do monitoramento de campo realizado por técnicos do programa Controle Certo e permitiu que as revendas Produceres, no Maranhão, e Sinagro, no oeste baiano, gerassem alertas para a região. “A eficácia do monitoramento foram importantíssimos para a identificação da doença em um estágio inicial. Dessa forma, é possível fazer o controle e impedir o avanço da ferrugem na região”, conta Fabiano Herculano, agrônomo e Especialista em Transformação Digital. 

O diagnóstico da ferrugem asiática é realizado com o auxílio de uma lupa

Índice:

A ferrugem na soja

Identificação com Controle Certo

Controle da ferrugem asiática

A ferrugem asiática na soja

Percebida pela primeira vez no Brasil em 2001, a ferrugem asiática se tornou a principal doença da soja nos anos seguintes.  Causada por um fungo cujos esporos são disseminados pelo vento, a ferrugem tem um alto custo para o país. De acordo com dados obtidos por meio do Consórcio Antiferrugem, a cada safra, a doença gera um custo médio de US$ 2,8 bilhões para o país.  

Segundo Fabiano Herculano, da Syngenta Digital, a ferrugem asiática costuma se instalar na soja quando há fechamento de rua: “as folhagens mais densas, com sol quente na parte aérea da planta e temperaturas amenas no período noturno formam umidade no baixeiro, criando um microclima que é favorável para o desenvolvimento do patógeno”, explica.  

Nas áreas de um produtor ligado à revenda Produceres, localizada no Maranhão, a doença foi identificada, ainda em um estágio inicial, durante a floração, quando as vagens estavam sendo formadas. “É um período crítico para a definição da produtividade”, conta o engenheiro agrônomo.  

O produtor da cidade de Luís Eduardo Magalhães, na Bahia, apoiado pela revenda Sinagro, estava no Mato Grosso quando os monitores de campo do Controle Certo identificaram a doença. Mesmo de outro estado, ele recebeu o alerta e pode tomar a decisão, conta Adriana Vaz, consultora do canal.  

Fonte: Consórcio Antiferrugem 

Identificação da ferrugem na soja com Controle Certo 

Um monitoramento de alto padrão é o caminho para a identificação da doença antes que ela se alastrasse. No Controle Certo, programa que leva a agricultura digital para lavouras de todo o país, os técnicos realizam o monitoramento com pano de batida toda semana, registrando as informações na ferramenta Cropwise Protectorde forma que ela fique disponível para o agricultor e o consultor da sua revenda. O programa é destinado justamente aos produtores que não possuem equipe técnica de monitoramento. 

Ilustração do mapa do Brasil mostra as cidades onde foram encontrados os focos de ferrugem asiática: Colina, no Maranhão, e Luis Eduardo Magalhães, na Bahia.

Tanto na Bahia, quanto no Maranhão, os monitores de campo identificaram sintomas da doença em um foco e levaram uma amostra para análise, com lupa. Depois do diagnóstico da doença, “foi possível fazer o manejo”, conta Caio Botelho Ribeiro, consultor de agricultura digital da revenda Produceres. Ele completa: “Eu mesmo fiz um texto informativo falando que foi identificada, com o Controle Certo a ferrugem para que eles [os produtores] pudessem se preparar”.   

Controle da ferrugem asiática

“Dentro de um ou dois dias, o produtor já estava aplicando”, relata Adriana Vaz, da Sinagro, sobre a rapidez do manejo depois da identificação precoce da doença. Fabiano Herculano, engenheiro agrônomo, explica que as aplicações são preventivas e buscam impedir que a doença avance, mas que não é possível recuperar as áreas afetadas. Diante do alerta, os produtores puderam planejar uma nova aplicação ou mesmo antecipar entradas que já estavam agendadas.  

O Controle Certo foi essencial para o sucesso no manejo: “Está tudo caminhando bem. Ele conseguiu entrar cedo e controlar bem”, conclui Caio Ribeiro, consultor da Produceres. Adriana Vaz conta que “Logo que o sistema foi alimentado com a informação de presença da ferrugem, o cliente ordenou aos seus funcionários uma aplicação de fungicida emergencial, para que não houvesse maiores prejuízos, e a soja finalizasse o ciclo saudável”. 

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura
Plantação de algodão

​Algodão: produtividade da safra anima produtores

A colheita entra em sua fase final e os índices de produtividade são animadores em Goiás. A previsão é ultrapassar a média de 285 arrobas por hectare, o que já seria um aumento de 13,4% em relação às 247 arrobas […]

Leia na íntegra
Cultura Posts
4 min de leitura
Milho, Café e Boi Gordo: Como funciona o Mercado Futuro?

Milho, Café e Boi Gordo: Como funciona o Mercado Futuro?

Uma safra de sucesso é motivo de comemoração para qualquer produtor rural. Mas não é só quem produz culturas, como milho e café, que pode lucrar com a compra e venda deles. Existe um ambiente no mercado de investimentos que […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
Higienização em ônibus

Coronavírus e agricultura: produtores relatam rotina na pandemia

As ruas do país estão vazias com a chegada do coronavírus. A maioria das pessoas está trabalhando remotamente, as escolas suspenderam as aulas, e a ordem é ficar em casa. Mas há as chamadas atividades essenciais, que seguem normalmente enquanto […]

Leia na íntegra