Agricultura e governança: a era da transformação digital
Agricultura e governança: a era da transformação digital Agricultura e governança: a era da transformação digital Agricultura e governança: a era da transformação digital Agricultura e governança: a era da transformação digital

Governança como ferramenta para a transformação digital

4 min de leitura

Dentre as diversas mudanças tecnológicas que já afetam o agronegócio brasileiro, há uma que pode estar passando despercebida por alguns produtores. E isto pode ser perigoso. Refiro-me ao processo irreversível de transformação digital. No agro, podemos citar o monitoramento das […]

por Syngenta Digital
Agricultura e governança: a era da transformação digital Voltar
Agricultura e governança: a era da transformação digital

Dentre as diversas mudanças tecnológicas que já afetam o agronegócio brasileiro, há uma que pode estar passando despercebida por alguns produtores. E isto pode ser perigoso. Refiro-me ao processo irreversível de transformação digital.

No agro, podemos citar o monitoramento das lavouras através de drones, o envio de dados online para a gestão das fazendas e as tecnologias de rastreamento aplicadas às máquinas. Todas essas inovações visam ao aumento da produtividade, do plantio à colheita.

É preciso que o produtor se adeque a essa nova realidade. Afinal, o mercado já sabe os perigos de se negar a evidente revolução que diversos setores passaram com o advento de tecnologias.

Foi o que ocorreu no setor de transportes, com a disputa entre táxis e apps como o Uber; ou no turismo, na disputa entre hotéis e AirBnb – só pra citar alguns exemplos. É a prova de que um setor pode (e deve) se reinventar para não ficar para trás e comer poeira da concorrência.

Transformação digital e governança no agro

Portanto, seguem alguns passos para turbinar seu agronegócio na era da transformação digital:

1. Estabelecer uma cultura de trabalho em rede envolvendo produtores, fornecedores, governo e consumidores para facilitar o compartilhamento de informações;

2. Estabelecer processos de gestão que permitam uma interface maior entre os colaboradores da fazenda, envolvendo desde o monitor de campo ao proprietário;

3. Engajar clientes, fornecedores e parceiros para utilizarem tecnologias que usam da Inteligência Artificial e permitam conhecer cada vez mais a realidade do plantio. Assim, é possível prever o que irá acontecer na propriedade, permitindo desenvolver melhorias.

Como visto, inserir o seu negócio no mundo digital é o caminho para o futuro. E é preciso começar agora. Já dizia Nizan Guanaes: “O ideal é não esperar o momento ideal”.

Bernardo Portugal, advogado, professor e sócio do escritório Portugal Vilela Almeida Behrens Direito de Negócios.

Leia outras matérias sobre tecnologias e fique por dentro de todas as novidades do setor!

Leia mais da categoria:

Tecnologias de sensoriamento remoto

Tecnologias de sensoriamento remoto estão mudando a história da agricultura

O campo hoje é um lugar tecnológico e conectado. Foram incorporadas ferramentas e maquinário de ponta à gestão das propriedades agrícolas, e isso está mudando a história da agricultura. As evoluções na área de sensoriamento remoto – com a utilização […]

Leia na íntegra

Tecnologia de ponta é aliada dos cafeicultores do cerrado

O cerrado brasileiro, que durante décadas se destacou como grande produtor de soja, milho e algodão, entre outros produtos agrícolas, vem a cada dia sendo ocupado por uma nova e importante cultura: o café. Boa terra para isso é o […]

Leia na íntegra

Por que escolher empresas que investem em pesquisa e desenvolvimento?

De softwares que otimizam a gestão da fazenda aos algoritmos de sites de busca que entregam resultados com o perfil do cliente, muitos dos projetos inovadores que existem no mercado têm origem nos setores de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) de […]

Leia na íntegra