Degradação do Solo: como evitar esses problemas? | Syngenta Digital
Degradação do Solo: como evitar esses problemas? | Syngenta Digital Degradação do Solo: como evitar esses problemas? | Syngenta Digital Degradação do Solo: como evitar esses problemas? | Syngenta Digital Degradação do Solo: como evitar esses problemas? | Syngenta Digital

Degradação do solo: conheça as causas e soluções

8 min de leitura

Se você está sofrendo com degradação do solo, saiba como evitar esse problema nas suas terras. Confira!

por Giovanna Vallin
27 de outubro de 2021
Degradação do Solo: como evitar esses problemas? | Syngenta Digital Voltar
Degradação do Solo: como evitar esses problemas? | Syngenta Digital
degradação do solo

A degradação do solo preocupa os produtores, não só pelo problema que traz à produtividade, mas também pelos impactos ambientais atrelados. Além disso, é importante destacar que as causas são variadas, desde atividades humanas até processos naturais.

Dessa forma, as consequências acabam comprometendo no geral a fertilidade do solo e, dependendo do nível, pode até torná-lo improdutivo.

Quer saber como evitar esse problema? Neste conteúdo, você confere os principais tipos de degradação e, também, quais as melhores maneiras de recuperar a área. Antes, porém, vamos contextualizar sobre o que é a degradação do solo! Vamos lá?

O que é degradação do solo?

O processo de degradação do solo está ligado à destruição do mesmo. Um solo nessas condições pode sofrer com a perda de nutrientes e também de sua estrutura. Além disso, acaba ficando mais propenso à salinização, bem como, a redução da sua matéria orgânica e permeabilidade. 

Com isso, todos esses problemas são provocados por fatores de ordem química, física e biológica, o que leva ao esgotamento da área. Dessa forma, desencadeando uma série de problemas, como: 

  • Redução da fertilidade;
  • Menor retenção de água;
  • Perda da produtividade;
  • Destruição da fauna e da flora local.

Quais são as causas da degradação no solo?

Existem diferentes causas para a degradação do solo, porém, há três em específico que se destacam: queimadas, desmatamento e ações do homem. A vegetação é de suma importância para que o solo fique protegido e os nutrientes continuem a circular nele. Quando há ausência dela, a terra fica desprotegida.

No entanto, é preciso deixar claro que nem sempre a ação do homem é a única que causa a degradação. Existem condições climáticas, além dos próprios fenômenos naturais, como chuvas ácidas, podem resultar no problema.

Tipos de degradação do solo

Quando se trata da atividade agrícola, a degradação do solo pode acontecer de diferentes formas. Abaixo, você confere as principais formas desse processo de destruição! 

Erosão

O processo de erosão é o mais comum e visível, sendo considerado como o principal fator de degradação. Geralmente, as suas causas estão na ruptura e transporte de sedimentos, devido à ação de agentes externos, como o vento e as chuvas.

A ação humana também pode impulsionar o processo, como:

  • Desmatamento;
  • Monocultura;
  • Uso excessivo de fertilizantes;

Esses fatores podem causar ainda mais a erosão. Além disso, quando ocorre em áreas próximas aos morros e montanhas, pode provocar deslizamento de terra

Com isso, quando acontece a perda da camada de vegetação, acaba diminuindo o potencial produtivo do solo, levando a perdas na produção agrícola.

Lixiviação

A lixiviação do solo é um processo erosivo causado por uma lavagem da camada superficial do solo, devido ao escorrimento de águas superficiais. Ela costuma acontecer em locais sem a cobertura vegetal, onde, com o tempo, diminui drasticamente a fertilidade.

É comum que a situação aconteça em solos de regiões tropicais e equatoriais, pois nelas, costumam ter chuvas mais abundantes e intensas. Dessa maneira, a água “lava” os solos, carregando suas partículas mais finas (argila e silte), a matéria orgânica e os nutrientes disponíveis nele, o que causa o seu empobrecimento.

Compactação do solo

A compactação está ligada pelo aumento da densidade do solo e perda da porosidade. Alguns dos motivos pelos quais isso acontece, é:

  • Pisoteio excessivo do gado; 
  • Tráfego de máquinas;
  • Manejo inadequado.

Geralmente, a compactação também está atrelada à impermeabilidade do solo, o que leva ao impedimento da penetração não só da água, mas também dos nutrientes, causando a infertilidade. Todo esse cenário leva a alteração física e química do terreno, uma influência negativa no crescimento, bem como desenvolvimento das plantas ali presentes.

Salinização

A salinização costuma acontecer nas regiões áridas e semiáridas, sendo caracterizada pela concentração de sais e rápida evaporação da água presente no solo, devido a altas temperaturas e baixos índices de precipitação.

Apesar de ser considerado um processo natural, a baixa eficácia da irrigação, com água de má qualidade, e a drenagem insuficiente fazem com que o processo seja acelerado.

Laterização

A laterização é um processo, no qual o solo acumula uma grande quantidade dos chamados óxidos hidratados de ferro ou alumínio. Isso faz com que a sua coloração e composição mudem. É muito comum que locais com essas características tenham solo na cor ferrugem, causados pelo intemperismo químico.

Cabe destacar que a laterização leva o solo a se tornar ácido e ter uma redução significativa da matéria orgânica.

Desertificação

Solo desertificado e degradado
Solo dessertificado.

Por sua vez, a desertificação está relacionada pela seca excessiva do solo e rápida perda de nutrientes. Ela costuma acontecer em regiões nas quais há uma baixa incidência de chuvas, como aquelas de clima árido e semiárido. Com isso, ocasionando:

  • Perdas nas áreas agricultáveis;
  • Redução dos recursos hídricos;
  • Elimina a cobertura vegetal;
  • Leva o solo ao processo de salinização e alcalinização.

Acidificação

A acidificação é um tipo de degradação no qual há a diminuição do pH no solo e aumento da presença de alumínio tóxico. A acidez na terra limita então a produtividade de culturas, além de dificultar o crescimento da vegetação.

Além disso, a disponibilidade de nutrientes, que são cruciais para as plantas, é reduzida na acidificação, prejudicando os microrganismos que estão no solo.

Soluções para a degradação do solo

Apesar de existirem diferentes tipos de degradação do solo, não é impossível encontrar soluções para evitar o problema. Abaixo, você confere as principais práticas para serem aplicadas na área degradada e aumentar a qualidade do solo!

Plantio direto

Uma das principais soluções de combate à degradação é o plantio direto. Por meio dele, é possível garantir características físicas, químicas e biológicas do solo, através do manejo mínimo. Com isso, são mantidos os resíduos de culturas previamente cultivadas e esses atuarão como camada de proteção da superfície do solo.

Além do mínimo revolvimento, é preciso trabalhar com a manutenção da cobertura do solo e realizar a rotação de culturas, pois ambos fazem parte dos pilares do plantio direto.

Adubação verde

O uso da adubação verde também é amplamente recomendado para áreas degradadas. A base dessa metodologia é usar determinadas plantas, que exercem a função de reciclar nutrientes já presentes no solo nas suas camadas mais profundas ou na atmosfera.

Um dos exemplos são as leguminosas, no qual ajudam a tornar a área mais fértil e produtiva.

O indicado é que sejam plantas com sistema radicular forte. A partir do momento que as raízes sofrem a decomposição, elas rompem com as barreiras físicas do solo, ajudando na descompactação.

Irrigação

Tipo de irrigação de solo utilizando máquinas
Sistema de irrigação do solo em funcionamento com Pivô

A irrigação também tem um papel importante na recuperação de solos degradados. Especialmente em regiões de clima árido, é importante fazer o uso correto dos recursos hídricos e realizar a aplicação necessária de água no solo.

Dessa maneira, o solo da área em questão não sofre com a seca excessiva ou a falta de nutrientes, além de receber a quantidade de minerais na medida certa, ajudando a combater a salinização, por exemplo.

Rotação de culturas

O sistema de rotação de culturas consiste em alternar anualmente as espécies de vegetais cultivadas em uma mesma área. Vale a pena escolher cultivos de plantas com raízes e necessidades distintas. Esse processo ajuda na:

  • Diversificar a produção agrícola;
  • Auxilia na reposição de material orgânico do solo;
  • Melhora as características físicas, químicas e biológicas da área;
  • Protege o terreno.

A degradação do solo é um processo que pode acontecer de diferentes maneiras, levando à perda de produtividade de uma área de cultivo. Portanto, vale a pena conhecer bem as especificidades do local e utilizar o tratamento correto. Dessa forma, você consegue identificar soluções para esse problema, garantindo um excelente cultivo.

Gostou do conteúdo? Esperamos que sim! Nós, da Syngenta, nos preocupamos com o seu bem-estar e das suas terras. Por isso, sempre trazemos as melhores dicas! E agora que você tem as informações necessárias, que tal saber mais sobre o calcário no solo e de que maneira ele ajuda na produtividade na sua lavoura? Clique e confira!

Leia mais da categoria:

Cultura Manejo
4 min de leitura
abelha na colmeia mel

Mais abelhas, mais café!

Maior presença do inseto nos cultivos aumenta a rentabilidade em até 30%.

Leia na íntegra
Manejo
7 min de leitura
Citros ou citrus

Citros: como funciona a produção das mudas?

A citricultura tem uma grande importância no Brasil. Só para se ter uma ideia, a safra 2021/2022 da laranja deve totalizar mais de 264,14 milhões de caixas no cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro. Sem contar que temos […]

Leia na íntegra
Manejo
4 min de leitura
Integração lavoura e pecuária

Integração lavoura-pecuária garante rentabilidade em propriedades rurais

Um dos grandes desafios enfrentados pelo agricultor da atualidade é encontrar o ponto de viabilidade econômica para seu negócio. Cada produtor tem sua estratégia na busca por melhores resultados nessa equação. Sabendo que não basta produzir muito – mas é […]

Leia na íntegra