Tudo sobre fertirrigação: economia e otimização da produção - Syngenta Digital
Tudo sobre fertirrigação: economia e otimização da produção - Syngenta Digital Tudo sobre fertirrigação: economia e otimização da produção - Syngenta Digital Tudo sobre fertirrigação: economia e otimização da produção - Syngenta Digital Tudo sobre fertirrigação: economia e otimização da produção - Syngenta Digital

Quais são os cuidados para realizar a fertirrigação?

4 min de leitura

Que tal otimizar a vida fazendo a adubação e a irrigação juntas? Entenda a seguir os detalhes sobre fertirrigação. É preciso preparar a terra antes do plantio, seja ele direto ou não. Garantir sua irrigação, adubação, entre outros cuidados para que […]

por Giovanna Vallin
14 de janeiro de 2022
Tudo sobre fertirrigação: economia e otimização da produção - Syngenta Digital Voltar
Tudo sobre fertirrigação: economia e otimização da produção - Syngenta Digital
Fertirrigação da lavoura

Que tal otimizar a vida fazendo a adubação e a irrigação juntas? Entenda a seguir os detalhes sobre fertirrigação.

É preciso preparar a terra antes do plantio, seja ele direto ou não. Garantir sua irrigação, adubação, entre outros cuidados para que a safra seja de alto rendimento. Mas também é necessário pensar em formas de reduzir custos de manejo, evitando excesso de mão de obra, certo?

Nesse ponto, a fertirrigação é um dos avanços que a agricultura introduziu ao dia a dia dos produtores rurais, facilitando demais o trabalho. Quer entender mais detalhes? Continue com a gente!

Índice

O que é fertirrigação?

A fertirrigação é uma técnica que permite usar, de forma racional, fertilizantes na agricultura irrigada. O procedimento aumenta a eficiência do seu uso, reduz a mão de obra e o custo com máquinas, além de flexibilizar a época de aplicação, que acaba sendo fracionada de acordo com o que os produtores sentem que a cultura pede.

Neste processo, o tempo de chegada do fertilizante às raízes das plantas é menor, visto que o produto está misturado na água que será aplicada ao solo, formando uma solução nutritiva.

A diferença para a aplicação convencional é que os nutrientes sólidos são depositados próximo da planta e na superfície do solo, havendo a necessidade de chuva ou irrigação para entrarem na solução do solo, ou seja, nem sempre serão interceptados pelo sistema radicular.

Quais são as vantagens do método?

Máquinas realizando fertirrigação do campo

Existem vários pontos positivos em optar por fertirrigação. Reunimos os principais na sequência:

  • É um maneira mais sustentável de manejo, visto que não há a necessidade de apostar em máquinas pesadas, movidas a combustíveis fósseis, também são reduzidos os danos ao solo, evitando as temidas erosões, e à plantação.
  • O sistema de fertirrigação permite a distribuição mais homogênea de nutrientes na plantação, e, consequentemente, um melhor aproveitamento.
  • Existe uma redução de custos, pois há diminuição no uso de mão de obra com o maquinário, o que barateia todo o manejo. Se já houver um sistema de irrigação previamente instalado, o investimento será menor ainda.
  • É mais simples aplicar fertilizante em qualquer ciclo da lavoura, não importa o clima da região.
  • Acontece equilíbrio de nutrientes no solo, afinal, os produtos não são aplicados de uma vez.
  • Estamos diante de duas soluções em uma, ou seja, injetar os defensivos (caso sejam compatíveis com os fertilizantes) integrados à fertirrigação.
  • Pode-se esperar uma redução das perdas de nitrogênio (atuante direta da fotossíntese) e de outros nutrientes, como o potássio.
  • O produtor faz uma economia de até 30% do consumo de água, já que os terrenos são regados de forma localizada, sem desperdício.

E as desvantagens da fertirrigação?

Não há tantas desvantagens assim, é mais uma questão de mudança de mentalidade dos produtores rurais, que devem ter que considerar:

  • precisar de cálculos para colocar a quantidade de adubo certa. Além de ter cuidado com o usar de adubos mais puros; 
  • fazer manutenção para não causar entupimento ou corrosão do sistema de irrigação (se feito com descuido);
  • risco de toxicidade em caso de uso de adubo excessivo.

Como é feita a fertirrigação?

Fertirrigação feita com aspersão

Ela acontece quando os adubos, em geral solúveis, são acrescentados à água da irrigação. Acaba sendo uma opção mais interessante ao sistema de gotejamento que ao de microaspersão. Isso porque, no gotejamento, o sistema radicular da cultura coincide com as regiões de maiores valores de umidade do volume molhado, otimizando o aproveitamento dos fertilizantes.

Na microaspersão, isso ocorre quando se usa um microaspersor por planta ou uma faixa molhada contínua.

O que é preciso considerar?

Um ponto a ser observado na fertirrigação é a dinâmica de íons no solo e o balanço catiônico-aniônico na solução do solo. Nele, um tipo de cátion ou ânion em excesso na solução poderá ser mais absorvido pelas raízes, limitando a absorção de outros cátions. Além disso, você deverá analisar:

Qualidade dos fertilizantes

Os fertilizantes utilizados na fertirrigação precisam estar adequados ao sistema de irrigação, às exigências das plantas e apresentar alta solubilidade.

O N é o nutriente mais aplicado em fertirrigação e pode se apresentar nas formas químicas: nítrica [nitrato de cálcio – Ca(NO3)2; nitrato de potássio – KNO3; nitrato de magnésio – Mg(N03)2]; amoniacal [(DAP-(NH4)2HP04; MAP- NH4H2P04; sulfato de amônio – (NH4)2S04]; nítrica-amoniacal (nitrato de amônio – NH4NO3); amídica [ureia – CO(NH2)2].*

Qualidade da água

Sim, ela faz toda a diferença também. Por exemplo, se há resíduos sólidos, eles podem causar entupimento de emissores. Outra questão é a presença de íons de ferro e manganês, incluindo os sólidos solúveis presentes na água, que podem causar obstrução da tubulação, causando perda de carga e de pressão. Para evitar problemas, vale a pena medir a condutividade elétrica da água.

Solo em questão

Não se esqueça de que solo arenoso pede mais suplementação de nutrientes para o pleno desenvolvimento vegetal. Ainda, a adubação convencional envolve perdas, principalmente, por lixiviação. Por isso, a fertirrigação para solo arenoso é tão interessante.

Também, vale considerar que a fertirrigação acelera o ciclo dos nutrientes utilizados e traz muitas vantagens aos produtores, ainda mais quando se nota a disponibilidade de fertilizantes solúveis no mercado, o custo elevado de mão de obra rural na adubação convencional e o constante incremento de área irrigada no Brasil.

Por isso, traga um pouco mais de tecnologia para seu plantio com esse método que otimiza a vida dos produtores e, quando feito com as boas práticas citadas ao longo deste artigo, melhora a produtividade das plantações.

* Fonte: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/886343/fertirrigacao 

Leia mais da categoria:

Manejo
13 min de leitura
germinação

Conheça os tipos de sementes e os fatores que afetam a germinação

Texto escrito em parceria com Grupo de Estudos em Tecnologia e Produção de Sementes da Universidade Federal de Viçosa. Um dos autores é Daniel Teixeira Pinheiro, engenheiro agrônomo, mestre e doutor em fitotecnia pela UFV. Atualmente é Pesquisador Associado junto […]

Leia na íntegra
Manejo
4 min de leitura
Plantas nascendo na terra

Você conhece as 3 leis gerais da adubação?

O crescimento das plantas depende, entre outros fatores, da quantidade de nutrientes adicionados ao solo. Assim, foram criadas as leis gerais da adubação. Quando o solo é analisado quimicamente, inúmeros elementos podem ser encontrados nessa amostra. Em suma, qualquer elemento […]

Leia na íntegra
Cultura Manejo
4 min de leitura
bicho mineiro

O manejo do bicho-mineiro

Nada tira mais o sono do cafeicultor que o Bicho-mineiro. Principal praga do café, ela tem potencial de devastar a lavoura, comprometendo a produtividade.  Saiba como é realizado o manejo.   Índice: O que é bicho-mineiro e qual a sua origem?  Entenda o comportamento […]

Leia na íntegra