8 tecnologias para fazer render sua lavoura de café
8 tecnologias para fazer render sua lavoura de café 8 tecnologias para fazer render sua lavoura de café 8 tecnologias para fazer render sua lavoura de café 8 tecnologias para fazer render sua lavoura de café

8 tecnologias para fazer render a sua lavoura de café

6 min de leitura

Você sabia que o Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking de produção e exportação mundial de café, além de ser o segundo maior consumidor da bebida? Segundo a Conab, o Brasil exportou cerca de 2,2 milhões de toneladas, o […]

por Syngenta Digital
8 tecnologias para fazer render sua lavoura de café Voltar
8 tecnologias para fazer render sua lavoura de café
lavoura de café

Você sabia que o Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking de produção e exportação mundial de café, além de ser o segundo maior consumidor da bebida?

Segundo a Conab, o Brasil exportou cerca de 2,2 milhões de toneladas, o equivalente a 39,4 milhões de sacas de café em 2022, com embarques para 145 países, com destaques para os Estados Unidos e Alemanha, seguidos por Itália, Bélgica e Japão.

Apesar de o primeiro lugar no ranking de produção mundial render ao país bastante prestígio no mercado internacional, também rende aos produtores uma grande preocupação: como driblar os principais desafios da cultura, sem perder a produtividade e ainda lucrar ao final da safra?

Para equilibrar essa equação, os melhores cafeicultores investem em tecnologias que vão desde modernos sistemas de irrigação a análise de imagens geradas por sensores remotos. Os resultados, eles colhem em produtividade, qualidade e rentabilidade.

Confira, a seguir, quais são as principais tecnologias utilizadas para fazer a lavoura de café render:

1. Análises de imagens geradas por sensores remotos

A tecnologia de sensoriamento remoto é uma realidade cada vez mais acessível aos produtores brasileiros. Por meio de imagens geradas por sensores, como satélites e drones, é possível ter acesso ao Normalized Difference Vegetation Index (NDVI), que em português significa Índice de Vegetação de Diferença Normalizada.

Essa medida de análise é muito utilizada na agricultura para examinar as condições das lavouras. É usada frequentemente para medir a intensidade de atividade clorofiliana na vegetação, gerando análises inteligentes. 

Seus cálculos são usados em diversas aplicações como no monitoramento, detecção de efeitos de secas, infestação de pragas, estimativas de produtividade, modelização hidrológica e mapeamento de culturas.

2. Pulverização aérea por meio de Veículos Aéreos Não-Tripulados (Vants)

A utilização de Vants na pulverização aérea de lavouras apresenta grandes benefícios, como a possibilidade de realizar a aplicação em áreas de risco e de difícil acesso – culturas de alto valor agregado, como o café, muitas vezes, estão localizadas em áreas de encostas, onde não é possível utilizar tratores e aviões.

Além disso, o sistema evita o contato humano com agrotóxicos, prevenindo acidentes de trabalho e gerando melhor qualidade de vida aos funcionários da fazenda.

3. Software de monitoramento

Os sistemas e softwares de gerenciamento revolucionaram as atividades no campo. O monitoramento de pragas, por exemplo, ganhou um poderoso aliado com um programa que gera relatórios georreferenciados, com médias de pragas por área e mapas de calor com os níveis e locais exatos da infestação.

O software permite ainda que o produtor, técnico ou agrônomo possa enviar informações, dados e até fotos do que está vendo no campo direto para o escritório da fazenda com apenas um toque na tela do tablet ou celular.

Ele também fornece ao produtor dados confiáveis para que ele tome decisões assertivas no gerenciamento de aplicações, além de direcionar a aplicação em taxa variável de defensivos.

4. Automatização dos sistemas de irrigação

A irrigação eficiente é um dos principais desafios dos produtores. Reduzir a perda hidríca sem comprometer a produtividade da safra é possível por meio da automatização dos sistemas de irrigação, usando a água de forma mais racional e evitando o desperdício.

O sistema automatizado funciona com sensores que indicam o momento certo de ligar a irrigação, baseado na umidade do solo. A automatização dá aos cafeicultores condições de saber a quantidade de água adequada para a lavoura e o momento em que se deve aplicar essa quantidade.

O reaproveitamento de água da chuva também é um diferencial em uma fazenda de café, principalmente se o cafeicultor procura investir em certificações. Esse é um dos critérios avaliados por várias certificadoras do setor.

5. Gestão de frota

60% dos pequenos problemas que afetam o dia a dia das fazendas está ligado à performance de máquinas. Por isso, uma frota alinhada e eficiente permite ao produtor reduzir o custo operacional da fazenda, além de aumentar a vida útil de suas máquinas e implementos, economizando combustível, tempo e dinheiro.

6. Agricultura de precisão

Utilize técnicas de agricultura de precisão, como a aplicação em taxa variável, para otimizar o uso de insumos agrícolas na lavoura de café. Por meio de sensores e sistemas de mapeamento, é possível identificar as variações nas necessidades da lavoura e aplicar os insumos de forma personalizada, economizando recursos e maximizando a eficiência.

7. Máquinas agrícolas autônomas

Explore a utilização de máquinas agrícolas autônomas na lavoura de café, como colheitadeiras e tratores. Essas máquinas são equipadas com sensores e sistemas de navegação avançados, permitindo que elas operem de forma autônoma, realizando tarefas como colheita, pulverização e preparo do solo de maneira mais eficiente e precisa, reduzindo custos e aumentando a produtividade.

8. Internet das Coisas (IoT) na gestão da lavoura

Implante sensores e dispositivos conectados na lavoura de café para coletar dados em tempo real sobre diferentes variáveis, como umidade do solo, nível de nutrientes e condições ambientais. Com essas informações, é possível tomar decisões mais precisas e oportunas, ajustando o manejo da lavoura de acordo com as necessidades específicas de cada área.

Como você pode observar, a adoção de tecnologias na lavoura de café pode trazer diversos benefícios, como maior eficiência no manejo, redução de custos, economia de recursos naturais e aumento da produtividade. Por isso, é recomendado avaliar as necessidades específicas da sua lavoura e escolher as tecnologias mais adequadas para atender a essas demandas.

Antes de ir embora, aproveite para conhecer o Cropwise Imagery, da Syngenta, e saiba como monitorar a saúde da sua lavoura de onde estiver.

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura
agricultura digital embrapa

Agricultura digital é prioridade da Embrapa em 2020

A prioridade da Embrapa em 2020 será a agricultura digital. Em coletiva de imprensa virtual, a empresa compartilhou o balanço de 2019, além de lançamentos, prioridades e desafios para este ano. A entrevista foi concedida pelo presidente da instituição, Celso […]

Leia na íntegra
Banner produzindo mais - Irrigação

Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil

A soja é originária da China e após diversos cruzamentos, conduzidos por cientistas chineses, surgiu uma linhagem mais adequada ao consumo humano. O grão chegou à Europa como planta ornamental e não se adaptou bem ao cultivo agrícola. Nos EUA […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura

Plantio da soja: 7 dicas para a regulagem correta da plantadeira

Por Darlene Santiago ([email protected]) Plantabilidade da soja é um assunto muito importante. Quando o produtor investe no correto plantio da soja, o resultado é gratificante: uma lavoura bem estabelecida, com espaçamento uniforme entre as plantas, evitando falhas e duplas. A […]

Leia na íntegra