Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital
Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital
Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital

Métodos de irrigação: quais são os mais indicados para sua lavoura

4 min de leitura

Conheça os principais métodos de irrigação e entenda qual faz mais sentido à sua produção. Sem água e adubação, não existem bons cultivos, isso é algo que todo produtor sabe bem. Mas em toda extensão do Brasil, há regiões que sofrem com escassez de chuva, enfrentando períodos de estiagem prolongados, que até obriga agricultores […]

por Giovanna Vallin
29 de dezembro de 2021
Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital Voltar
Método de irrigação: os ideais para sua lavoura - Syngenta Digital
Métodos de irrigação

Conheça os principais métodos de irrigação e entenda qual faz mais sentido à sua produção.

Sem água e adubação, não existem bons cultivos, isso é algo que todo produtor sabe bem. Mas em toda extensão do Brasil, há regiões que sofrem com escassez de chuva, enfrentando períodos de estiagem prolongados, que até obriga agricultores a se arriscarem com a semeadura no pó, por exemplo. Assim, a irrigação é uma necessidade — porque acaba, inclusive, substituindo a chuva em diversos momentos.

Dessa forma, um sistema de irrigação é algo bastante comum na produção agrícola, da mesma maneira que o preparo do solo, como a calagem.

A consequência dessa alta demanda?

Simples: existem diversos tipos de irrigação na agricultura. Então, como escolher o mais indicado para o seu plantio?

É essa a resposta que você tem neste texto, além de ficar por dentro das diversas variáveis quando falamos em tipos de irrigação na agricultura. Acompanhe para se atualizar.

Índice

A diferença entre método e sistema de irrigação

Na agricultura, chamamos de método de irrigação a maneira como se aplica a água nas plantas — por exemplo, se é superficial ou localizada. Esses métodos podem se relacionar com um ou mais sistema de irrigação.

Já o sistema de irrigação refere-se ao conjunto de equipamentos e operações que realizarão a irrigação, afinal, estamos falando da técnica que vai fazer com que a plantação receba água e possa se tornar mais ou menos produtiva.

Em geral, os produtores optam por apenas um método de irrigação, mas que pode ser composto por mais de um sistema.

O fato é que, para escolher qual o melhor método para a sua propriedade, é preciso verificar vários fatores, entre eles o tipo de solo, o terreno, o clima, o cultivo e até a quantidade de chuva na região.

Vantagens e desvantagens de cada método de irrigação

Agora é a vez de entender cada um dos métodos de irrigação — incluindo suas vantagens. Veja!

Método de irrigação superficial

Irrigação por inundação e por sulcos

O método de irrigação superficial permite que, por meio da gravidade, a água aplicada na superfície infiltre no solo, em geral, isso acontece pelo sistema de sulcos ou inundação. Esse método é bem comum quando falamos em produções de arroz.

Quanto aos benefícios da irrigação superficial, vale falar de:

  • baixos custos de energia, implantação e manutenção;
  • o fato de não sofrer interferências de vento.

Porém, é fundamental compreender sobre suas desvantagens, como:

  • dependência da inclinação do terreno;
  • baixa eficiência no uso da água, quando não manejado corretamente;
  • e erosão do solo
  • perdas de água por percolação (o movimento subterrâneo da água pelo solo).

Método de irrigação por aspersão

Irrigação mecanizada por pivo e convencional

Este método de irrigação simula uma chuva artificial, visto que um aspersor expele água para o ar e, que por resistência aerodinâmica, se transforma em gotículas de água que caem sobre o solo e plantas — como a boa e velha chuva.

Vale apontar que ele se subdivide em dois grupos principais: sistemas convencionais e sistemas mecanizados.

Os convencionais são mais básicos, com equipamentos movimentados manualmente.

Já os mecanizados, como o próprio nome diz, contam com sistemas mecânicos e servem para grandes áreas, diminuindo os custos da mão de obra.

Dentre as vantagens desse tipo de irrigação, estão o fato de ser viável em quase todos os solos, ter uma boa precisão de água gasta por área, poder ser ajustável e fazer uma ótima cobertura da plantação.

No Brasil, a irrigação por aspersão é muito utilizada para agricultores que produzem hortaliças, tomate, batata, cenoura e milho-doce.

Método de irrigação localizada

Neste método de irrigação, aplica-se a água diretamente nas raízes, em baixa pressão e vazão, além de alta frequência.

São sistemas fixos, pressurizados e que permitem total automação — liberando o produtor de excesso de mão de obra. Nesse ponto, entra a grande desvantagem: ainda que seja mais econômico quanto ao trabalho, seu custo de implantação é mais elevado, quando comparado a outros métodos.

A principal vantagem é que a perda de água por evaporação é reduzida, pois a água é depositada diretamente nas raízes das plantas formando pequenos círculos ou faixas únicas. Mas ainda há outras: como o baixo custo de energia e de água e a facilidade de adaptação aos mais variados solos.

Vale lembrar que, nas áreas mais secas, a irrigação localizada é uma das mais utilizadas, incluindo para o cultivo da melancia.

Método de irrigação de subsuperfície

Irrigação por microasperção e gotejamento

Este método consiste em injetar água diretamente ou abaixo do sistema radicular das plantas. Em geral, é feito por dois sistemas, de gotejamento subterrâneo ou de elevação do lençol freático, de modo que a ação capilar atrai a água do solo para a zona radicular.

A água é fornecida à zona saturada abaixo da região das raízes da planta via condutos subterrâneos ou, em se tratando de locais em que a superfície é porosa, por canais de superfície sem revestimento.

Os sistemas de subirrigação são usados somente onde as formações subjacentes permitem a formação e manutenção do nível do lençol freático a pouca profundidade. É um método menos comum, mas que traz uniformidade e eficiência, em contrapartida, exige investimentos altos para a implementação.

Fertirrigação

Aqui, junto da água, são aplicados fertilizantes também, em uma ação conjunta que otimiza o trabalho do produtor. Assim, as vantagens são economia de mão de obra, a aplicação de nutrientes na mesma área em que está sendo colocada água, melhorando e muito a disponibilidade da cultura.

Um ponto importante é que não é aconselhável acrescentar os fertilizantes no início da aplicação de água — o ideal é esperar o equilíbrio hidráulico e se atentar para que a aplicação dos fertilizantes esteja de acordo com a curva de absorção de nutrientes da planta.

Como escolher o método de irrigação ideal

A escolha do sistema de irrigação deve estar alinhada com fatores que envolvem:

  • tipo de cultura e as demandas desse plantio;
  • condições climáticas — incluindo o período de chuvas;
  • textura e erosão do solo;
  • disponibilidade de água e possibilidade de construir reservatórios.

A irrigação do solo também influencia no plantio, como plantio direto, semeadura no pó, entre outros. Por essa razão, a escolha do método de irrigação deve ser bem estudada e estar em alinhamento com a questão da adubação orgânica ou não e também do preparo do solo.

Leia mais da categoria:

Manejo
4 min de leitura
planta capim amargoso

Agressividade de plantas daninhas

Conhecer quem são e as características que contribuem para agressividade das plantas daninhas (PD) é fundamental para promover um manejo mais adequado na agricultura, pecuária e floresta. Sua importância é destacada porque gera perdas de até 40% na produção agrícola […]

Leia na íntegra
Cultura Manejo
4 min de leitura

Manejo de pragas de solo no sistema soja-milho-algodão

Texto escrito em parceria com Marcelo Mueller de Freitas, Eng. Agrônomo, Mestre e Doutor em Entomologia Agrícola pela Unesp/FCAV. Atualmente desenvolve pesquisas voltadas para o manejo microbiológico de pragas e é sócio administrador da página @mipemfoco.  Pragas de solo Que os artrópodes-pragas […]

Leia na íntegra
Manejo
4 min de leitura
Solo arenoso

Entenda como é o manejo do solo arenoso

Fonte da foto de capa: AGEITEC – Embrapa. Quando falamos sobre agricultura e tudo que ela envolve, um dos primeiros tópicos que vem à tona é o solo. A área onde será cultivada uma cultura ou mesmo que servirá de […]

Leia na íntegra