Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil
Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil

Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil

4 min de leitura

A soja é originária da China e após diversos cruzamentos, conduzidos por cientistas chineses, surgiu uma linhagem mais adequada ao consumo humano. O grão chegou à Europa como planta ornamental e não se adaptou bem ao cultivo agrícola. Nos EUA […]

por Syngenta Digital
Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil Voltar
Você sabia? Curiosidades sobre a Soja no Brasil
Banner produzindo mais - Irrigação

A soja é originária da China e após diversos cruzamentos, conduzidos por cientistas chineses, surgiu uma linhagem mais adequada ao consumo humano. O grão chegou à Europa como planta ornamental e não se adaptou bem ao cultivo agrícola. Nos EUA encontrou um clima favorável onde até os dias atuais é intensamente cultivada. Entrou no Brasil por volta de 1882, trazida pelo Professor Gustavo Dutra, da Escola de Agronomia da Bahia.

As variedades de soja apresentam hoje algumas características bem distintas da soja ancestral. A altura das plantas varia de 60 a 120 cm. O ciclo também é bem variado, geralmente, entre 100 e 160 dias. Seu crescimento pode ser indeterminado, semi determinado ou determinado. Seu desenvolvimento está associado ao fotoperíodo, sendo que se estiver submetida a um curto período de iluminação tende a florescer precocemente reduzindo consideravelmente a produtividade.

O consumo da soja está em plena expansão no mundo, tendo ultrapassado, na presente safra, mais de 300 milhões de toneladas de grãos produzidos. Para se atingir este patamar, é necessário dispor-se de variedades melhoradas, combinadas com um ambiente que otimize a expressão de seu elevado potencial genético.

DESAFIOS DE PRODUÇÃO

A cultura da soja apresenta grandes desafios para a pesquisa científica no sentido de se buscar soluções para problemas como: resistência de plantas espontâneas, insetos-praga, nematoides e ferrugem. No intuito de atender a crescente demanda por grãos, tecnologias de melhoramento genético foram lançadas, priorizando a seleção de cultivares resistentes.

Um dos fatores, inicialmente limitantes para produção da soja no Brasil, é o fato de ser originalmente uma planta de noites curtas (dias longos), sendo, portanto característico de regiões temperadas. Com o advento do melhoramento genético, tornou-se possível cultivá-la em regiões brasileiras, hoje altamente produtivas, e que se encontra em latitudes inferiores a 20° (MT, GO, BA). Outra tecnologia marcante na cultura da soja é o Manejo Integrado de Pragas (MIP-Soja), cujos resultados auxiliam técnicos na tomada de decisão quanto ao controle.

SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS

O grão de soja apresenta grande variedade de uso, não se restringindo apenas à alimentação humana e animal. A crescente demanda pelo produto levou as empresas produtoras de sementes, adubos, herbicidas e agrotóxicos a desenvolver pacotes tecnológicos que reduzem grandemente o risco de perdas nas lavouras. Entretanto, mesmo aumentando a produtividade continuamente, há uma grande demanda por soluções mais sustentáveis.Adicionalmente, existe oportunidade de mercado, pois há uma parcela da população, tanto nacional quanto estrangeira, que demanda produtos orgânicos.

A soja convencional atinge um sobrepreço de 2 a 5 dólares acima da transgênica, enquanto a orgânica, inserida no Sistema de Comércio Justo, atinge 40% acima do valor. Por este motivo, a oscilação do valor da soja transgênica em função do dólar não causa variação na soja orgânica. Nesse sentido, reforça-se a necessidade de busca por insumos com base em recursos naturais renováveis.

A expectativa de adesão de novos produtores ao cultivo orgânico de soja é positiva, pois com o desenvolvimento de diversas técnicas de controle biológico de pragas e doenças, novas fontes de adubos orgânicos e manejo integrado de plantas daninhas sem o uso de herbicidas tem tornado a atividade mais atrativa. Para a conversão do cultivo convencional ao cultivo orgânico, são necessárias bases científicas consistentes e capazes de serem reproduzidas.

Nesse sentido, o desenvolvimento de novos fertilizantes mais sustentáveis é de fundamental importância. Uma via promissora é a reciclagem de resíduos orgânicos que, além de gerar uma destinação adequada ambientalmente, permite agregar valor para essas matérias primas.

Por Marihus Altoé Baldotto, professores da Universidade Federal de Viçosa.

Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn e Youtube.

Leia mais da categoria:

aplicacao defensivo plantacao

4 maneiras de controlar pragas e doenças

Nos artigos anteriores, tratamos do tema biologia e controle de plantas concorrentes. Neles, demos continuidade ao conceito de Manejo Integrado, aplicado também por nós à Fertilidade do Solo. Neste texto, apresentaremos os fundamentos para o Manejo Fitossanitário, ou seja,  vamos […]

Leia na íntegra
Cafézinho no Produzindo+

Etapas para produção de um café de qualidade

Quando se deseja produzir café dentro dos padrões de qualidade, em primeiro lugar, deve-se avaliar o clima  – temperatura, deficit hídrico, geadas, etc. Quando ele é analisado em conjunto com os atributos de solo, gera o conhecimento das condições edafoclimáticas, […]

Leia na íntegra
Especial Produzindo Mais Posts
4 min de leitura
Produzindo mais nos cafezais

As variedades do café e seus benefícios para cada produtor

Como vimos no primeiro artigo desta nova série especial, a história do café no Brasil começou em 1792, por meio da espécie Coffea arábica, pela cultivar Nacional. Depois, foram introduzidas as variedades Bourbon Vermelho e Sumatra, em 1859 e 1896. […]

Leia na íntegra