Fertilizantes: tipos e aplicações - Syngenta Digital
Fertilizantes: tipos e aplicações - Syngenta Digital Fertilizantes: tipos e aplicações - Syngenta Digital Fertilizantes: tipos e aplicações - Syngenta Digital Fertilizantes: tipos e aplicações - Syngenta Digital

Fertilizante: conheça os seus principais tipos e aplicações

5 min de leitura

Ao mencionar o solo, a primeira coisa que vem à mente de quem lida com a agricultura diariamente é o fertilizante, e não é para menos. Afinal, o produto costuma trazer excelentes resultados para o solo e ainda contribui para […]

por Giovanna Vallin
24 de fevereiro de 2022
Fertilizantes: tipos e aplicações - Syngenta Digital Voltar
Fertilizantes: tipos e aplicações - Syngenta Digital
Fertirrigação

Ao mencionar o solo, a primeira coisa que vem à mente de quem lida com a agricultura diariamente é o fertilizante, e não é para menos. Afinal, o produto costuma trazer excelentes resultados para o solo e ainda contribui para a produtividade das plantas, melhorando as colheitas.   

Mas, assim como outros produtos que são aplicados em uma área rural, os fertilizantes têm as suas especificidades, o que influencia no seu uso. Para te ajudar a entender melhor sobre o assunto, preparamos este artigo, no qual explicamos mais detalhadamente sobre os diferentes tipos de fertilizantes para plantas e outras informações importantes sobre o seu uso. Vamos lá? 

O que é um fertilizante agrícola?

O fertilizante agrícola pode ser definido como um produto de origem mineral, orgânica, natural ou sintética, que tem como objetivo fornecer nutrientes para as plantas. O seu uso é crucial para a melhoria e manutenção da fertilidade do solo, o que consequentemente eleva os níveis de produtividade de uma cultura, aumenta a qualidade do que é produzido e ainda fornece sustentabilidade ambiental.  

Para obter um crescimento saudável, as plantas precisam de diferentes tipos de nutrientes, como oxigênio, carbono, hidrogênio, nitrogênio, além de outros compostos químicos insuficientes no solo, assim, os fertilizantes desempenham bem esse papel. 

No entanto, é preciso cuidado com a utilização dos fertilizantes, pois o excesso de aplicação de produtos pode levar a problemas ambientais. Logo, é preciso estar atento às necessidades da área de plantio, a fim de fornecer os nutrientes corretos. 

Quais os tipos de fertilizantes?

Como explicado, existem diferentes tipos de fertilizantes. A seguir, você conhecerá cada uma delas e as suas origens respectivas.  

Fertilizante mineral

Fertilizante mineral
Fertilizante mineral

O fertilizante mineral também chamado de inorgânico ou sintético é bastante comum. Ele tem como principais características a possibilidade de ser preparado de forma sintética por meio de processos industriais.  

Geralmente, eles são compostos por nitrogênio, fósforo e potássio e têm rápida absorção pela planta. Além disso, podem ter na sua formulação um ou mais macronutrientes e também alguns micronutrientes. Comumente, quando se trata da classificação com base na presença desses elementos essenciais, os fertilizantes são divididos em quatro classes: fertilizantes nitrogenados, fosfatados, nitrogenados-fosfatados e potássicos.  

Fertilizante orgânico

Fertilizante orgânico
Fertilizante orgânico

Os fertilizantes orgânicos são compostos basicamente de matérias-primas de origem animal, vegetal ou industrial, que podem ter passado, ou não, por processos físicos, químicos ou bioquímicos para sua formação. entre os quais se encontram o esterco animal, vinhaça e tortas vegetais. Se comparado aos fertilizantes minerais, os orgânicos têm um tempo de ação mais lento. Afinal, eles precisam de mais transformações antes de serem usados pelos vegetais. 

Por serem colocados diretamente na terra, os fertilizantes orgânicos são uma excelente opção para a recuperação do solo, pois eles permitem a reprodução de bactérias que são benéficas para a agricultura, além de ajudarem a acelerar a atuação de adubos químicos.  

Fertilizantes organominerais

Fertilizantes organominerais
Fertilizantes organominerais

Por fim, temos os fertilizantes organominerais que são compostos por material orgânico e enriquecidos com minerais, elementos inorgânicos para serem absorvidos de maneira rápida pelas plantas.  

A combinação de material orgânico e mineral visa não só melhorar o solo e suas propriedades físicas, mas também o fornecimento de matéria-prima para que a planta possa ter um melhor desenvolvimento, crescendo de maneira mais saudável e rápida.  

Qual a relação: fertilizante e agricultura brasileira?

O aumento na demanda por alimentos em todo mundo reflete diretamente na agricultura. O Brasil, por ser um dos maiores produtores mundiais, têm usado cada vez mais fertilizantes a fim de aumentar a produtividade das lavouras.  

O país ainda é bastante dependente dos produtos importados, só para ter uma ideia 85% dos fertilizantes que são usados na agricultura vêm de fora.  

Como funciona o uso e aplicação dos fertilizantes?

O uso e aplicação dos fertilizantes pode acontecer em diferentes fases do cultivo. Fatores como o tipo de fertilizante usado interferem na escolha da etapa.  

Semeadura

Na fase de semeadura, o fertilizante é aplicado no solo um pouco abaixo e ao lado das sementes. Nesse caso, o benefício é que a semente colocada no solo já tem a disponibilidade dos nutrientes necessários, o que promove um desenvolvimento mais ágil na etapa inicial. 

Adubação de cobertura

Na adubação adubação de cobertura as doses de fertilizantes podem ser parceladas, de forma que a aplicação do fertilizante acontece ao longo do ciclo da cultura.  

Aplicação a lanço

Visa distribuir o fertilizante uniformemente sobre o solo e depois incorporá-lo de maneira parcial ou total através da aração, a fim de que esse alcance maiores profundidades. 

Aplicação pneumática

O fertilizante é espalhado pelo ar através de tubos instalados na área destinada para a lavoura. A técnica é recomendada para aquelas culturas onde há maior espaço entre as linhas de plantio. Assim, não há desperdício em áreas em que as raízes não atingiram o fertilizante absorvido pelo solo.  

Irrigação

Na fertilização por irrigação ou fertirrigação, a aplicação é de fertilizantes líquidos ou facilmente solúveis. Para os produtos compostos, há duas formas de fazê-las, como por meio de pivôs centrais ou mangueiras de gotejamento.  

Pulverização

A aplicação do fertilizante quando feita por pulverização tem a diluição dos compostos na água e posteriormente é colocado nos pulverizadores. A absorção do produto acontece pelas folhas das plantas.  

Quais as técnicas de aplicação para cada tipo de fertilizante?

Após definir o melhor tipo de fertilizante para a lavoura, o profissional deve escolher qual o modo de aplicação é mais eficiente, considerando dois pontos importantes: evitar o desperdício e os erros na hora de aplicar o produto. Algumas técnicas funcionam bem, entre as quais estão:  

  • adubação mais plantio: usada especialmente para fertilizantes químicos e granulados;  
  • adubação de cobertura: indicada para fertilizantes químicos e granulados (como ureia), orgânicos e também opções de produto em pó, que ajudam na correção do solo; 
  • adubação a lanço: usada para aplicação de fertilizantes sólidos ou líquidos, como vinhaça. 
  • adubação por irrigação: ideal para ser usada com fertilizantes líquidos ou altamente solúveis, visto que é feita junto à irrigação da lavoura;  
  • adubação por pulverização: indicada especialmente para os fertilizantes foliares, que também são diluídos nesse processo. 

Assim como os defensivos agrícolas, é muito importante que os fertilizantes sejam indicados por um profissional, a fim de que a sua aplicação seja feita da maneira mais adequada. Tais compostos são essenciais no desenvolvimento das lavouras, impactando a germinação, produção de folhas, sementes e até frutos. Ao usá-los corretamente, você garante a saúde do solo em longo prazo, sem esgotá-lo ou mesmo contaminá-lo. 

Leia mais da categoria:

Manejo
13 min de leitura
germinação

Conheça os tipos de sementes e os fatores que afetam a germinação

Texto escrito em parceria com Grupo de Estudos em Tecnologia e Produção de Sementes da Universidade Federal de Viçosa. Um dos autores é Daniel Teixeira Pinheiro, engenheiro agrônomo, mestre e doutor em fitotecnia pela UFV. Atualmente é Pesquisador Associado junto […]

Leia na íntegra
Cultura Manejo
4 min de leitura
abelha na colmeia mel

Mais abelhas, mais café!

Maior presença do inseto nos cultivos aumenta a rentabilidade em até 30%.

Leia na íntegra
Manejo
4 min de leitura

Manejo Biológico: opção ecológica contra as pragas

O Brasil é o segundo maior produtor de soja do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostram que na safra 2015/2016 a cultura ocupou uma área de 33,17 milhões de hectares, o […]

Leia na íntegra