Buva: saiba tudo sobre a planta daninha e seus benefícios
Buva: saiba tudo sobre a planta daninha e seus benefícios Buva: saiba tudo sobre a planta daninha e seus benefícios Buva: saiba tudo sobre a planta daninha e seus benefícios Buva: saiba tudo sobre a planta daninha e seus benefícios

Buva

4 min de leitura

O Brasil está entre os maiores produtores agrícolas do mundo. O fato também leva o país a ter uma grande propensão a invasão de plantas daninhas nas culturas. Entre as mais perigosas, a buva se destaca.   Essa planta daninha costuma impactar a produção de soja e o milho, […]

por Luisa Torres
19 de julho de 2021
Buva: saiba tudo sobre a planta daninha e seus benefícios Voltar
Buva: saiba tudo sobre a planta daninha e seus benefícios
planta daninha buva crescendo

O Brasil está entre os maiores produtores agrícolas do mundo. O fato também leva o país a ter uma grande propensão a invasão de plantas daninhas nas culturas. Entre as mais perigosas, a buva se destaca.  

Essa planta daninha costuma impactar a produção de soja e o milho, dois grãos extremamente importantes para a agricultura nacional. Além de consumir os nutrientes que iriam para a cultura, a buva prejudica o desenvolvimento do plantio.  

Neste artigo, vamos explicar mais sobre as suas características, prejuízos por ela causados e também quais as melhores práticas do manejo para evitar a disseminação delas.  

Buva planta daninha crescida na terra
Buva na lavoura é sempre sinal de alerta para os produtores.

O que é a buva?  

Também conhecida como voadeira, rabo de foguete e arranha gato, a buva (Conyza bonariensis) é uma planta daninha invasora e amplamente encontrada nas regiões Centro Oeste, Sudeste e Sul do país. Ela se reproduz anualmente por meio de sementes que costumam germinar no outono e inverno e têm seu ciclo finalizado no verão.  

Por se dispersar facilmente, a sua espécie é considerada agressiva para as culturas, como a da soja. Pra se ter uma ideia, uma única planta daninha dessa família pode produzir cerca de 100 mil sementes e ter uma dispersão de 100 a 500 metros dependendo da planta mãe. Além disso, pode chegar a 2,5 m de altura. A Buva também tem forte resistência a herbicidas, o que dificulta ainda mais o seu controle. 

Algumas características variam conforme o grupo ao qual a buva pertence. O gênero Conyza é composto por diferentes espécies, sendo as mais comuns a Conyza bonariensisConyza sumatrensis, predominantes no Brasil, e Conyza canadensis. Basicamente, os aspectos que as diferenciam são:  

folhas:  Na C. bonariensis a ramificação da parte superior ultrapassa o topo do caule. Já a C. canadensis apresenta folhas com margens finamente dentadas e a parte superior do caule forma uma grande panícula sem que os ramos excedam ao topo.

caule: folhoso, em algumas espécies a presença das folhas é mais densa, enquanto em outras a incidência é menor;  

Flores: poucas flores em determinados tipos, enquanto em outros há a presença de  muitas flores. 

Quais os prejuízos causados pela buva? 

Os impactos causados pela buva nas plantações começam pelo prejuízo no rendimento da cultura. Por exemplo, quando essa planta daninha é encontrada na soja, ela reduz o desenvolvimento da cultura. Em alguns casos, pode cortar 80% da produção. 

Isso acontece devido ao seu efeito alelopático sobre as culturas, ou seja, ela inibe a germinação de grãos, por exemplo. 

Outro ponto é o fato da buva ser mais resistente ao uso de herbicidas, como citado. Isso faz com que haja uma maior dificuldade no seu manejo, já que ela se dissimina com mais facilidade pelo campo.  

Além do mais, a buva é responsável por reduzir a qualidade da produção das lavouras,  aumentando as impurezas e umidade da cultura, o que prejudica o produtor na hora de comercializar o seu produto para o mercado.  

Buva, planta daninha, atacando uma lavoura de soja
Em alguns casos, a Buva pode prejudicar até 80% dO que mostra a necessidade do controle eficaz dessa planta daninha

Como realizar um manejo eficaz da buva?  

manejo de plantas daninhas de difícil controle, como é o caso da buva, exige um bom conhecimento sobre o histórico da área onde ela foi encontrada, sistema de produção e as práticas de manejo usadas, a fim de identificar as lacunas e poder lidar melhor com esse problema. Conheça algumas dicas para aplicar e evitar que a buva se alastre! 

Faça a cobertura do solo 

Uma ação que pode ser tomada a fim de controlar a disseminação dessa planta daninha é optar por culturas que permitam a maior cobertura do solo. Isso porque a buva precisa de radiação solar para germinar, logo, ao adotar essa prática é possível reduzir consideravelmente a presença da planta nas áreas de cultivo. A rotação de culturas entre plantações também previne o seu aparecimento, quebrando o ciclo de desenvolvimento da buva.  

Tenha cuidado com o uso de herbicidas 

Algumas práticas são especialmente importantes no caso da buva. Fazer a rotação do princípio ativo dos produtos é uma delas. Caso haja plantas resistentes, fazer o uso do mesmo defensivo químico pode prejudicar ainda mais a extinção da mesma. Se mesmo após a aplicação, for identificado algumas daninhas que sobreviveram é indicado arrancá-las, por meio de capina. A prática também ajuda a evitar a disseminação das sementes.  

Limpe o maquinário 

Limpar máquinas e equipamentos usados no plantio e colheita também se faz necessário. Isso porque eles podem passar por áreas infestadas e disseminar as plantas daninhas. A ação tem ainda mais peso quando os equipamentos são compartilhados e alugados por outros produtores.  

Faça o manejo no inverno 

O inverno é uma época especialmente importante para a redução do número de plantas daninhas e evitar o crescimento da buva, facilitando o controle com herbicidas quando feitas as pré-semeaduras no verão. 

Aposte no cultivo de centeio e aveia 

Enquanto estiver na entressafra da sua cultura principal, cultive na área o centeio e a aveia. Ambas são responsáveis por reduzir a presença da buva no local, se comparada com as áreas que ficam desprotegidas. Ao associar esse plantio com o controle químico é possível ter um resultado mais satisfatório.  

A buva tem mais dificuldade de se desenvolver quando germina em culturas com efeito supressor, como é o caso do centeio e da aveia. O que acontece é que ao final do ciclo da cultura, a planta daninha aparece menor e é controlada com maior facilidade quando feito o manejo de outra cultura, como o caso da soja e do milho. 

Faça os controle pré e pós-emergente 

Quando for utilizar os defensivos é importante lembrar dos herbicidas pré-emergentes, eles ajudam a controlar as plantas daninhas ainda no solo e em forma de semente, viabilizando o plantio da cultura. 

No caso dos herbicidas pós-emergentes, é interessante priorizar a dessecação da buva em seus estágios iniciais de desenvolvimento, visto que isso ajuda a torná-la mais vulnerável à ação do defensivo.  

Como você pôde conferir ao longo do artigo, a buva é um sinal de alerta quando presente na lavoura. Afinal, essa planta daninha pode gerar grandes prejuízos para a sua safra. Conhecer boas práticas de manejo e atuar de maneira preventiva é essencial para eliminá-las.  

Já conhecia a buva? Quer continuar lendo artigos sobre plantas daninhas e outros assuntos? Não deixe de assinar a nossa newsletter! 

Leia mais da categoria:

Posts
4 min de leitura
tecnologias na agricultura

Tecnologias na agricultura: a pandemia nas Américas

A adoção de tecnologias na agricultura aproxima gestores do dia a dia da lavoura, contribuindo para uma melhor e mais rápida tomada de decisão. A revolução digital, em curso ao redor de todo o globo, passou a atrair ainda mais […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura
academia digital

Academia Digital treina monitores em pragas e doenças

Com a chegada da nova versão do Cropwise Protector, ferramenta digital de suporte à tomada de decisão, os produtores passam a contar também com uma plataforma de treinamento totalmente online que oferece capacitação em identificação pragas e doenças. Os clientes podem optar pela forma virtual ou presencial, no dia da implantação do software na fazenda. A certificação faz […]

Leia na íntegra
Posts
4 min de leitura

Exportação de soja dobra receita e cresce 88% em volume

Vendas somaram 6,185 milhões de toneladas em novembro, gerando receita de US$ 2,477 bi As exportações brasileiras do complexo soja somaram 6,185 milhões de toneladas em novembro, gerando receita de US$ 2,477 bilhões. Na comparação com igual período de 2017, […]

Leia na íntegra